JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 06 de julho de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ESPORTE

Sem jogar desde 14 de março, Santos alcança sua maior inatividade no século

O Santos completou 71 dias esta semana sem disputar uma partida. É o maior período que o time praiano ficou sem atuar no século XXI

25/05/2020 - 09:54:48. Última atualização: 25/05/2020 - 09:55:37.

Por Leandro Silveira

O Santos alcança neste domingo um recorde histórico de inatividade. Sem entrar em campo desde 14 de março, quando perdeu clássico para o São Paulo por 2 a 1, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista, o time completou 71 dias sem disputar uma partida. É o maior período que o time ficou sem atuar no século XXI.

A marca anterior, de 70 dias, era de 2002. Naquele ano, o Santos fez péssima campanha no Torneio Rio-São Paulo, tendo sido eliminado logo na primeira fase, em que foi apenas o nono colocado. E o seu último jogo no torneio interestadual foi em 14 de abril, o empate por 1 a 1 com o Bangu, em Moça Bonita.

Depois da eliminação, o Santos definiu a saída do técnico Celso Roth, que foi substituído por Emerson Leão. E só voltou a campo em 23 de junho, para encarar o paranaense Roma, em Apucarana, para um amistoso, que foi vencido por 1 a 0.

Naquela temporada, o Santos demoraria ainda mais tempo para disputar um jogo oficial. Depois desse jogo, disputou outros três amistosos, estreando no Campeonato Brasileiro em 27 de julho, com a vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo, na Vila Belmiro

Esse duelo abriu uma campanha histórica do Santos, que faturou o título nacional para o clube com um time formado por vários jogadores com passagem marcante pelo time, incluindo Robinho e Diego.

É bem provável que a distância de mais três meses sem jogos oficiais do Santos seja superada agora em 2020, pois não há nenhuma previsão sobre quando as competições poderão ser retomadas no Brasil, paralisadas em função da pandemia do coronavírus.

Mas se esse período foi utilizado por Leão para montar o time campeão brasileiro de 2002, Jesualdo Ferreira não tem a mesma chance em 2020, pois os jogadores seguem confinados nas suas residências, onde realizam treinos leves.

Caso as competições não tivessem sido paralisadas, o Santos teria entrado em campo ao menos nove vezes após o clássico contra o São Paulo. O time faria os dois jogos restantes da primeira fase do Paulistão e também o das quartas de final, etapa para a qual já estava classificado. Teria, também, atuado em quatro duelos da fase de grupos da Copa Libertadores e em ao menos três rodadas do Brasileirão.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia