JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 09 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ESPORTE

Talvez seria mais valorizado no meu país se fosse branco, afirma Hamilton

Seis vezes campeão da F1, Lewis Hamilton disse que “talvez” tivesse um reconhecimento maior em seu país se fosse branco

14/11/2019 - 00:00:00. - Por Folhapress

Seis vezes campeão da F1, Lewis Hamilton disse que “talvez” tivesse um reconhecimento maior em seu país se fosse branco. Único piloto negro da categoria, o britânico de 34 anos desembarcou em São Paulo já com o título de 2019 assegurado e discutiu brevemente a questão racial na Inglaterra. 

“Não corro por reconhecimento, não é isso o que me impulsiona, não procuro pensar nesse fato. Talvez as coisas fossem diferentes se eu fosse branco, mas, no fim das contas, prefiro me concentrar nas coisas positivas”, disse o piloto inglês.

Em seu país, no entanto, Hamilton já teve o seu patriotismo questionado. Em julho deste ano, durante o GP da Inglaterra, ele foi perguntado sobre supostamente não ter um sotaque britânico e pela decisão de morar em Mônaco. Na ocasião, o piloto reafirmou o amor pela Inglaterra. “Vou a todas essas corridas e levanto a Bandeira britânica com orgulho. Não há mais ninguém neste esporte que a tenha elevado tanto.”

Já durante o GP do México, no final de outubro, o chefe da equipe Mercedes, Toto Wolf, relembrou que o inglês sofreu ataques racistas durante a infância. “Quando Lewis era mais novo, ele era a única criança negra no meio das crianças brancas, e eu sei que ele sofreu ataques raciais”, falou o dirigente.   

Em seu 13º GP Brasil de F1, o inglês diz que não vê problemas de reconhecimento no Brasil. “Amo todas as vezes em que venho ao Brasil. Sinto que os brasileiros estão gostando cada vez mais de mim”, afirmou.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia