JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 09 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ESPORTE

Fábio Santos nega ajuda do Atlético ao rival se bater Flu

Lateral-esquerdo afirmou que só pensa em livrar o Galo do risco de queda

14/11/2019 - 00:00:00. - Por Agência Estado Última atualização: 14/11/2019 - 18:00:02.

Com seis rodadas para o final do Campeonato Brasileiro, a briga para fugir da zona de rebaixamento está intensa e nela estão alguns grandes clubes do país, como Cruzeiro e Fluminense. Justamente o time carioca é o próximo adversário do Atlético, sábado (16), no Maracanã. Uma vitória da equipe alvinegra poderá beneficiar o rival, mas não é isso o que o plantel pensa. 

“Nem penso nisso (em ajudar o Cruzeiro). A nossa situação não está boa para pensar nos outros. Temos que fazer os 45 pontos o quanto antes para sair deste sufoco e deixar o problema para o outro lado. Esquecer quem podemos ajudar ou atrapalhar nesse momento. Temos que pensar no Atlético”, disse o lateral-esquerdo Fábio Santos, em entrevista coletiva nessa quarta-feira (13), na Cidade do Galo.

Na tabela de classificação, o Flu ocupa a 17ª posição, dentro da zona de rebaixamento, com 34 pontos. O Cruzeiro, outro muito ameaçado, está no 16º posto, o primeiro fora da degola, com 35. O Atlético, um pouco mais tranquilo – mas ainda correndo riscos –, é o 12º colocado, com 40.

Fábio Santos chegará à marca de 200 jogos pelo Galo. Contratado em 2016, o jogador acumula 199 partidas, tendo marcado 17 gols.

“Passou rápido. Brinco que jogar em time que ganha por três anos e meio é fácil, mas jogar em time que não foi campeão em três anos e meio é difícil de permanecer titular. Por isso que eu falo que quando as cobranças vêm é natural. O cara permanecer tanto tempo no clube jogando como titular, onde todas as outras posições rodaram, e eu continuei ali. Completar uma marca de 200 jogos é muito significativo”, afirmou o lateral-esquerdo.

“Fico feliz, é um clube que abriu as portas para mim, me sinto bem na cidade, no clube. Falta um título grande ainda, isso me incomoda demais, tenho tentado trabalhar e buscar isso. O torcedor merece essa conquista, mas, sem dúvidas, muito feliz pelas marcas”, completou o jogador, que é bicampeão da Libertadores (São Paulo, em 2005, e Corinthians, em 2012) e do Mundial de Clubes (Corinthians, em 2012). (Agência Estado)

 

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia