JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ESPORTE

Globo muda forma de cobrança, e deixa Botafogo sem renda em 2019

A principal renda dos clubes brasileiros são os direitos de transmissões pagos pela Globo, e com o Botafogo não é diferente

11/09/2019 - 00:00:00. - Por Folhapress

A principal renda dos clubes brasileiros são os direitos de transmissões pagos pela Globo, e com o Botafogo não é diferente. O problema é que o clube alvinegro não contou com um único centavo da empresa em 2019 até agora. Isso, porque o dinheiro tem sido direcionado para pagar o ato trabalhista, penhoras e uma dívida do clube com a emissora.

O Botafogo deve R$22 milhões à Globo - R$11 milhões desta temporada e mais R$11 mi de 2020. Tudo isso estava dentro dos planos, mas não a forma de cobrança. É que a Globo optou por pegar o total que havia disponível em cada mês e não de forma linear. Assim, o Botafogo viu o dinheiro que seria usado mensalmente para pagar salários de atletas e funcionários ser destinado à quitação da dívida com a emissora.

A previsão é que esses R$11 milhões de 2019 sejam quitados no fim de setembro, quando o clube poderá ver a cor do dinheiro novamente. Até agora, o Botafogo tem se mantido apenas com a venda de atletas, já que não conseguiu gerar novas receitas com patrocínios. Gatito é a bola da vez.

Atualmente, o Botafogo gasta R$1,76 milhão mensal com o ato trabalhista, o que permite uma fila de credores de dívidas trabalhistas, evitando assim penhoras inesperadas. Somente processos iniciados após dezembro de 2014 conseguem "furar" a fila.

Desde então, o Botafogo já pagou aproximadamente R$90 milhões em dívidas trabalhistas. O pagamento é debitado automaticamente do dinheiro da Globo todo mês. O acordo serve até o ano de 2024 e ainda faltam R$117 milhões a serem quitados. 

Portanto, o que sobrará ao Botafogo a partir de outubro é a quantia que o clube tem a receber da Globo menos o R$1,76 milhão do ato trabalhista. Além, é claro, de possíveis penhoras que não entrem na fila.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia