JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 17 de fevereiro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ESPORTE

Andrew Parsons é o novo presidente do Comitê Paralímpico Internacional

Parsons ganhou na primeira rodada da votação, atingindo a maioria absoluta exigida de 82 votos com um total de 84

Última atualização: 08/09/2017 - 09:49:29.

  Divulgação

O brasileiro Andrew Parsons se tornou, nesta sexta-feira (8), no novo presidente do Comitê Paralímpico Internacional, substituindo no cargo o britânico Philip Craven, que dirigiu a entidade nos últimos 16 anos.

Parsons ganhou na primeira rodada da votação, atingindo a maioria absoluta exigida de 82 votos com um total de 84. Em segundo lugar ficou a chinesa Haidi Zhang, com 47, terceiro foi o dinamarquês John Petersson, com 19, e último o canadense Patrick Jarvis, com 12.

Antes desta eleição, Andrew Parsons ocupou o cargo de vice-presidente do IPC e até em maio deste ano era o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, cargo que ocupava desde 2009. É o único dos quatro candidatos que não tem deficiência. O cargo de vice-presidente do IPC ficará com o ex-nadador paralímpico neozelandês Duane Kale, que superou por 81 a 79, o dinamarquês John Petersson.

Desde a sua fundação em 1989, o Comitê Paralímpico Internacional teve apenas dois presidentes, o canadense Bod Steadward (1989-2001) e o britânico Philip Craven (2001-2017), que é membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) desde 2003. A eleição do brasileiro saiu dos votos de 330 representantes de 167 organizações membros do IPC, 19 a mais que na última Assembleia, realizada há quatro anos.

Uma das consequências da mudança de liderança no IPC será na próxima semana, em Lima (Peru), onde se reunirá a Sessão do COI, nenhum representante do Comitê Paralímpico participará da eleição das sedes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2024 e 2028.

Craven era membro do COI em razão do sua posição no IPC e, portanto, saiu após deixar a presidência. Agora, Parsons provavelmente será admitido no COI. Porém, a substituição não é automática: deve ser proposta pela Executiva e submetida à votação em uma assembleia posterior.

Fonte: Agência Brasil
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia