JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 19 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ESPORTE

Judocas do Brasil têm pior atuação no Mundial

Última atualização: 30/08/2015 - 01:14:11.

 

 

Os judocas brasileiros tiveram, na manhã deste sábado (29), o pior resultado em um Mundial de judô desde 2009, quando deixaram Roterdã sem medalhas. Luciano Corrêa (até 100 kg), David Moura (acima dos 100 kg), Rochele Nunes e Maria Suelen Altheman (acima de 78 kg) foram eliminados na segunda rodada e o Brasil está fora das finais individuais.

Com o resultado, o país deixa a competição, disputada em Astana, no Cazaquistão, com um total de dois pódios - ambos de bronze, com Érika Miranda e Victor Penalber. Os brasileiros, agora, mantêm a esperança por bons resultados na disputa por equipes, que acontece hoje. Luciano Corrêa começou bem. Superou o húngaro Miklos Cirjenics e avançou para a segunda etapa, mas foi eliminado logo em seguida, pelo britânico Benjamin Fletcher, por uma punição.

David também teve um bom início neste sábado, e começou o dia com a vitória sobre o letão Vladimirs Osnachs. Assim como o compatriota, caiu na segunda etapa, após passar pelo japonês Ryu Shichinohe - que era cabeça de chave e avançou com tranquilidade. Na categoria feminina, Rochele Nunes foi eliminada pela chinesa Sisi Ma. Já Maria Suelen Altheman deu adeus à competição após machucar o joelho esquerdo ao receber golpe da adversária sul-coreana Minjeong Kim.

Rio 2016. As duas medalhas obtidas são, por ora, menos do que as cinco estabelecidas como meta pela CBJ (Confederação Brasileira). Os brasileiros vinham de quatro pódios no Mundial de Cheliabinsk, em 2014, e de seis no do Rio, em 2013.
Além disso, o resultado aciona o alarme a menos de um ano do início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O judô é tido como potencial fonte de conquistas para o Brasil, cujo objetivo é ter de 27 a 30 medalhas e ficar entre as dez melhores nações por total de láureas.
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia