JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 28 de outubro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

O beija-flor e o livro

18/09/2020 - 00:00:00. - Por João Eurípedes Sabino


Estamos em plena fase na qual a leitura se transformou em grande amiga, por nos acompanhar em todos os lugares. O livro, esse fiel companheiro, foi chamado e está cumprindo a contento o seu papel. Projetos e textos exaltando-o, são frequentes! Acostumamo-nos ver o encontro do ser humano com o livro, mas convenhamos, de um pássaro com o livro é coisa raríssima..Aliás,.eu.nunca.tinha.visto..Vejamos.a.seguir.

Recebi do estimado amigo Elmo Fantato o seguinte bilhete manuscrito: “Minha filha Silvana flagrou o momento em que um beija-flor invadiu a livraria e pairou em frente aos livros, como que escolhesse um para ler. Será que a lei do IMPOSTO DO LIVRO vai atingir também esse tipo de leitor? Só o Ministro Guedes para responder. Um abraço. Elmo”.

Junto ao bilhete, veio a foto do beija-flor azul, posado de forma imponente sobre O LIVRO DA MÚSICA CLÁSSICA. De onde ele estava, seus olhos miravam obras da literatura infantil. E me perguntei: existe uma associação mais fascinante? O que pode superar a união da música, com a criança e o pássaro, se a interação dos três ocorre pela linguagem do coração? Concluí que o beija-flor foi, no mínimo, um refinado visitante. Não por acaso, entre milhares de livros expostos, ele foi destacar logo os que mencionei. A relação afetiva do delicado pássaro com o ambiente e os seus anfitriões ficou explícita, tanto que ele permitiu ser fotografado bem de perto..E.só.bateu.asas.quando.viu.por.bem...

Dizem que o animal sempre volta onde foi bem recebido. O livro que serviu de apoio ao colibri azulão, certamente foi vendido, mas outros ficaram para acolhê-lo de novo com o mesmo afeto. Um bebedouro adoçado.o.chamará.de.volta.mais.rápido.ainda.
Emoções à parte, reportei-me ao texto “Santuário preservado” que concebi quando eu caminhava onde hoje estão os Condomínios Damha, na Fazenda São Geraldo. Ao amigo Mário de Almeida Franco Júnior, em 1º de dezembro de 2006, vendo ali tanta beleza natural, enfatizei: “Animais invadem as cidades em busca do último refúgio, sem saber que num futuro relativamente próximo não saberemos para onde ir”.

Que a cena do beija-flor na livraria nos sirva de exemplo. Pássaros existem, lugares também, mas a espontaneidade dos animais só se manifesta.se.o.carinho.estiver.no.ambiente. O amigo Elmo Fantato e sua família têm absoluta razão quando se preocupam com a ave leitora. A sobretaxa do livro em.12%.afugentará.o.leitor.e.também.o.beija-flor.
Com a palavra, o Sr. Ministro Paulo Guedes, da Economia.


Leia mais

Continua depois da publicidade

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia