JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 23 de setembro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Que modos, hein??

08/08/2020 - 07:06:14. - Por Leuces Teixeira


Meus caros amigos leitores, aqui estou pela alegria de muitos e tristeza de uns poucos gatos pingados. Continuo tomando banho sozinho, pela graça do bom DEUS!! Agradeço. É sinal de lucidez, saúde e domínio do corpo!!!

Essa expressão lançada acima - “Que modos, hein?? - era meu finado avô Antônio Teixeira - vovô Totonho - que dizia quando ficava impressionado com alguma coisa. Já minha avó Lázara expressava mencionado: Admiração né, Totonho, só se vendo!!!

Desta feita, ao longo da vida, quase chegando aos 60 anos, me recordo dos meus avós mencionando tais dizeres.

Vejo o comportamento do procurador-geral da República – PGR – Augusto Aras, fazendo das tripas um coração para macular todo o trabalho produzido pela Lava Jato, com o claro intuito de desmoralizar o ex-juiz Sergio Moro, bem como os procuradores da República de Curitiba.

No mesmo sentido, o deputado Rodrigo Maia e o senador Alcolumbre, querendo alavancar uma Proposta de Emenda Constitucional – PEC – no sentido de estabelecer uma quarentena de seis anos para servidores poderem disputar qualquer pleito eleitoral. Um verdadeiro desserviço, digo mais, um monstrengo jurídico, uma teratologia, no caminho de tratar desigualmente os iguais.

O que pretendem com isso? Não vejo outra atitude no sentido de proibir, ameaçar que pessoas que se destacam nas suas funções estatais possam fazer algo no mundo da política.

Acredito piamente que tal loucura não caminhe, ainda mais, no sentido de retroagir com relação aos que já se desvincularam. Não existe norma penal ou processual penal que atinja atos pretéritos com o intuito punitivo. Digo punitivo, pois tal pretensão vai além de uma punição; é uma imoralidade, de uma inconstitucionalidade à toda prova.

Vejo também, com muita tristeza, conforme já escrito neste espaço, o comportamento do Bolsonaro se aproximando do Centrão, lembrando a famosa frase do deputado Robertão da antiga tropa de choque do Collor: “É dando que se recebe!”. Tal frase se amolda na boca de São Francisco de Assis em tom de caridade ao próximo. No mundo da política se afeiçoa como algo repugnante, chega a dar vômito; desdizendo o que pregou na campanha.

Do mesmo modo, querendo proteger seus filhos a qualquer custo. Bolsonaro deveria ser eleito o pai do ano, e neste domingo que se aproxima – Dia dos Pais -, ser homenageado em praça pública. Eita barrigada ruim, deveria ter jogado fora os fetos e criado as placentas num vidrinho, com todo respeito! Os garotos são verdadeira máquina de provocar problemas; não vai ter um final feliz, apesar da minha torcida caminhar no contrário – um final feliz.

Nunca torci pelo quanto pior melhor; torço pelo quanto melhor e melhor!

Daí meus amigos, diante de tantas incongruências, cada qual olhando para o seu umbigo, ou melhor, sempre mirando a próxima eleição, não tem como deixar de lembrar dos meus avós: Que modos, hein??? - meu vô Totonho; admiraçããããão – minha vó Lazinha!!!

DEUS Pai, tenha piedade de nós!

 

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia