JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 19 de fevereiro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Longevidade

O que mais almejamos é uma vida longa e saudável. Manter a saúde na velhice

09/02/2020 - 00:00:00. - Por Márcia Moreno Campos

O que mais almejamos é uma vida longa e saudável. Manter a saúde na velhice é um privilégio e mérito de poucos. Receitas de longevidade fazem parte dos melhores cardápios, passam de comadre para comadre, e a medicina vai se reinventando para manter o número de idosos, cada vez maior, em boas condições de vida. Exercícios físicos constantes, não fumar, beber com moderação, dormir bem são alguns dos conselhos médicos mais propalados. 

Pois não é que ao visitar meu cardiologista, um verdadeiro cientista em quem muito confio, perguntei se era fato ou boato que as emoções interferiam nas doenças coronarianas. E ele me respondeu que, nos últimos congressos de que participou, o fator emocional passou a ser matéria debatida e acatada pelos médicos. Segundo ele, a pessoa que guarda mágoa tem muito mais chance de adoecer do que aquela que é capaz de perdoar. É a ciência reconhecendo o que a sabedoria popular sempre ditou.

Resolvi pesquisar mais sobre o assunto e encontrei um artigo publicado na Folha de S.Paulo pelo cardiologista José Francisco Kerr Saraiva, que confirma a tese e afirma que “perdoar é fundamental para a saúde mental e faz muito bem ao coração”. A conclusão é de um trabalho da psicanalista Suzana Avezum, que estudou 130 pessoas entre 2016 e 2018. Segundo sua análise, o grupo de pessoas que havia sofrido infarto agudo do miocárdio apresentou mais tendência a não perdoar as mágoas sofridas durante a vida. O perdão gera uma sensação de alívio que minimiza os sintomas das doenças do coração. O estudo também mostrou a importância da prevenção, com o desenvolvimento de programas de treinamento para o perdão, inclusive por meio de religiões. É fato que a pesquisa ainda carece de evidência científica comprovada, mas os resultados apontam na direção certa. Mágoas e ressentimentos geram estresse, tão danoso ao organismo humano.

Eu acredito que a postura da pessoa perante a vida faz toda a diferença. Problemas são inevitáveis e constantes, mas enfrentá-los com bravura sem culpar o outro pelos infortúnios a que demos causa é fundamental. 

Pelos exemplos de vida e pela longevidade lúcida e atuante, quero cumprimentar três amigas, nonagenárias, minhas queridas leitoras, que tanto admiro e gosto. Meu carinho especial à Dona Zulika Cartafina, Iris Bóscolo e Bernadete Gomes. Suas bênçãos.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia