JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de novembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Você gosta de escolas?

Vou confessar uma coisa para vocês: nunca gostei de escolas. Pior: ao longo da vida encontrei muita gente

10/11/2019 - 00:00:00. - Por Renato Muniz Barretto de Carvalho

Vou confessar uma coisa para vocês: nunca gostei de escolas. Pior: ao longo da vida encontrei muita gente com o mesmo sentimento, a mesma percepção ruim, a mesma sensação de repulsa, desencanto e desalento. Uma tristeza! 

Já que entrei no terreno das confidências, vou confessar mais uma coisa: adoro escolas! O ambiente escolar sempre me fascinou, me cativou e me instigou. Desde que entrei numa escola, nunca mais quis sair. Escolas me seduziram, me conquistaram de modo arrebatador. Tem coisa melhor na vida do que ser estudante? Tem algo mais excitante do que poder frequentar uma escola? Escola é sinônimo de heterogeneidade, de criatividade, de desafio. Frequentar uma escola permite fazer amizades, compreender a realidade e viver sensações únicas. Para a maioria das pessoas, o aprendizado e as lembranças ficam para a vida inteira. Ainda que não seja só na escola que se aprendem coisas novas, ir à escola é algo formidável. Recomendo!

Bem, é óbvio que estamos diante de uma contradição! Acho que devo algumas explicações.

Desde que passei a frequentar escolas, nunca gostei do autoritarismo existente no interior delas. Rigidez com horários, cobranças bestas, vigilância e fiscalização excessiva dos comportamentos são situações constrangedoras e desnecessárias. Muitos confundem escolas com prisões. Cá entre nós, em muitas escolas o que existe são relações autoritárias: entre o corpo docente e o corpo discente, entre os funcionários, entre direção e professores… Horrível! Deprimente! As relações de poder são muito explícitas numa escola; a paixão doentia pela ordem e o medo degradam os vínculos pedagógicos. Alguns se julgam mais sábios do que os outros, mais poderosos, mais iluminados… Aí, descamba para a repressão, a tristeza e a exclusão. As regras impostas de cima para baixo atrapalham o aprendizado. A decoreba aparece como a solução mais fácil, mais cômoda, mas menos duradoura.

Dependendo das circunstâncias, as escolas são locais privilegiados de alegria, onde alunos e professores podem exercer sua criatividade e expor toda a sua humanidade. Adoro escolas em que o conhecimento é consequência de um processo aberto, sem imposições ou intolerância. As melhores escolas são aquelas em que o conhecimento é apresentado de forma flexível, construído com prazer. É difícil, mas é possível. Adoro escolas que não punem a crítica, que aceitam as divergências, que não ocultam a riqueza da diversidade humana.

Pergunte aos meninos e meninas por que eles gostam da escola. A resposta geralmente estará associada às amizades, aos colegas, aos relacionamentos interpessoais, ao prazer das descobertas. Escola é lugar de convivência, de brincadeiras, de boas emoções e de desenvolvimento das artes. Escola é o lugar próprio das dúvidas. Quem tem medo da dúvida não gosta de escolas, da educação. 

Hoje, estou aposentado, mas, ao passar na frente de uma escola, dá uma vontade doida de entrar, de ir até o pátio para conversar com alunos, funcionários e professores. Ainda tenho muitas perguntas.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia