JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 13 de novembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Senhora do Rosário

16/10/2019 - 07:31:58. - Por Olga Maria Frange de Oliveira

O mês de outubro é dedicado à Virgem Santíssima, englobando não só a festa da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, mas também as festas de Nossa Senhora do Rosário e de Nossa Senhora de Nazaré.

Através dos séculos, uma ligação muito especial foi criada entre o rosário e a Ordem Dominicana. São Domingos de Gusmão, fundador da Ordem, recebeu o rosário das mãos de Nossa Senhora em 1214, na igreja do Mosteiro de Prouille, na França. Tornou-se o grande propagador da devoção mariana no início do século XIII. A Igreja Católica conferiu-lhe o título de “Apóstolo do Rosário”. Os frades dominicanos, desde então, carregam o rosário em seus cintos, em sinal de fé.

Pio V, austero papa dominicano, atribuiu a Nossa Senhora do Rosário a vitória da Batalha de Lepanto, no mar da Grécia, pela qual, graças ao líder militar D. João da Áustria, o avanço dos turcos otomanos sobre a Europa foi posto em xeque em 1571. Essa célebre batalha foi um conflito naval travado entre uma esquadra da Liga Santa e o Império Otomano. A Liga Santa era formada pela República de Veneza, Reino de Espanha, Cavaleiros de Malta e Estados Pontifícios, sob o comando de D. João da Áustria, nomeado por Felipe II, rei da Espanha, comandante-geral da grande armada.

A centenária igreja de São Domingos de Uberaba ostenta um belo tríptico das imagens de São Domingos, Santa Catarina de Sena e Nossa Senhora do Rosário, abrindo um precedente mais que louvável em relação à admissão de imagens dentro de seu templo, pela relevância do tema tratado. Ele se destaca ao fundo do corredor lateral à esquerda de quem entra na igreja, ainda mais belo após primorosa restauração efetuada pela artista plástica Débora Elisabete Ribeiro da Silva.

Desde a inauguração do templo de São Domingos em nossa cidade, em 1904, as comemorações da Festa de Nossa Senhora do Rosário ocuparam sempre lugar de relevo no calendário anual da igreja. O jornal “Lavoura e Comércio”, em registro do dia 4 de outubro de 1931, assim descreve os festejos daquele ano: “A Festa de Nossa Senhora do Rosário, uma das mais imponentes e concorridas que se fazem nesta católica cidade, superou todas as expectativas. A procissão, realizada às 5 horas da tarde, teve um comparecimento de cerca de 5.000 fiéis e obedeceu a uma ordem verdadeiramente encantadora. Colaborou muito para o brilho do evento a banda de música Ítalo-Brasileira, sob a batuta do maestro Rigoletto di Martino”.

A palavra “rosário” significa um punhado de rosas, ou seja, um buquê de rosas que se oferece à Virgem Maria. Cada “Ave-Maria” é uma rosa que oferecemos à Mãe de Deus”. Assim, quando rezamos o Santo Rosário completo, contemplando os quatro mistérios (gozosos, luminosos, dolorosos e gloriosos), oferecemos um lindo ramalhete de duzentas rosas à Nossa Senhora.

Este ano, as comemorações dominicanas em louvor de Nossa Senhora do Rosário serão realizadas nos dias 17, 18 e 19 do corrente mês. Após o tríduo, será celebrada uma missa solene, dia 20, domingo, às 19 horas. Abrilhantarão a cerimônia o Coral Artístico Uberabense e um Coro Gregoriano sob a direção do Sr. João Ribeiro da Silva, sendo que ambos os coros serão acompanhados ao teclado por Daiana Soraia Santos.

O Coral Artístico Uberabense interpretará obras sacras dos seguintes autores: Fúrio Francischini (Entrada, Kyrie, Glória e Agnus Dei); J. S. Bach (Salmo e Ofertório); Franz Schubert (Sanctus), e Haendel (Aclamação do Evangelho e Comunhão). O Coro Gregoriano enriquecerá a parte musical da missa com o “Pater Noster” e “Adoro Te Devote”. No encerramento, a belíssima “Ave-Maria”, de Giulio Caccini, será executada pela primeira vez pelo Coral Artístico, assim como a expressiva canção “Mãe do Céu Morena”, com letra e música de Padre Zezinho.

Vamos juntos oferecer nossas rosas à Santíssima Nossa Senhora do Rosário, com as bênçãos dos frades da Ordem dos Pregadores.

(*)Pianista, professora, maestrina, regente do Coral Artístico Uberabense, pesquisadora da História da Música em Uberaba e ex-diretora-geral da Fundação Cultural de Uberaba

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia