JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 17 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Pets e Animais de Rua

Começou agosto e logo pensei nos pets e nos animais de rua. Afinal, sempre ouvimos dizer que agosto é Mês de Cachorro Louco

06/08/2019 - 00:00:00. - Por Mário Salvador

Começou agosto e logo pensei nos pets e nos animais de rua. Afinal, sempre ouvimos dizer que agosto é Mês de Cachorro Louco. E encontrei a seguinte explicação para isso: este é o mês em que, por circunstâncias climáticas, aumenta a concentração de cadelas em período fértil, o que deixa os cachorros eufóricos ou “loucos” e os faz brigar na conquista da fêmea. Por isso, o vírus da raiva acaba se propagando nessa época com mais facilidade. Essa explicação não foi confirmada em nenhum periódico científico. 

Décadas atrás, em Uberaba, carrocinhas da prefeitura recolhiam cães e gatos abandonados nas ruas. Chamamos esses animais sem raça definida de vira-latas, nome que hoje parece estranho, mas em sua origem nos remete ao fato de esses animais buscarem comida em latas de lixo, que eles viravam ao chão. Como o lixo hoje é descartado em sacos plásticos, se nos fosse lícito atualizar o nome dos vira-latas, nós os chamaríamos de puxa-sacos, numa alusão ao fato de cães e gatos de rua famintos estraçalharem sacos de lixos para encontrar comida.

Quem ama animais certamente já idealizou um destino bom e definitivo para animais de rua. Quanto a isso, a Holanda virou exemplo ao adotar, em 2016, o método REVIR (recolher, vacinar, esterilizar, identificar e entregar), tornando-se o primeiro país do mundo sem animais na rua. Além desse projeto, há multa para quem abandona animais. O Brasil poderia adotar essa ideia.

O controle populacional de cães e gatos, a realização de feiras de adoção desses animais e a conscientização da população sobre o assunto são providências que podem ser tomadas em todas as cidades e evitariam zoonoses, acidentes envolvendo animais de rua, além de acabar com o sofrimento desses pobres animais, que passam fome e sede vivendo nas ruas.

Uma pesquisa brasileira revelou que, por ano, só em comida, um cão ou gato custa R$1.430,50, valor significativo para algumas famílias. Mesmo assim, muitos lares brasileiros têm um ou mais pets, de diversas espécies.

Recentemente, um casal cuja casa foi assaltada implorou aos ladrões, por uma rede de televisão, que devolvessem a cachorrinha de estimação pela qual o casal se comprometia a pagar o valor exigido pelos bandidos. 

De fato, é sempre triste perder um pet, por qualquer motivo. Porém, mesmo correndo o risco, vale a pena adotar um animalzinho. Muitas pessoas preferem adotar animais de raça em vez dos brincalhões, carinhosos e espertos vira-latas. Mas seja animal de raça, seja um vira-lata, nossos pets podem garantir muita alegria para toda a família.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia