JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 17 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Comer pipoca

Ontem à tarde, me ofereceram uma cumbuquinha cheia de pipocas. Quentinhas, macias, bem temperadas

04/08/2019 - 00:00:00. - Por Renato Muniz Barretto de Carvalho

Ontem à tarde, me ofereceram uma cumbuquinha cheia de pipocas. Quentinhas, macias, bem temperadas de sal, sem excesso. Peguei uma e coloquei na boca. Peguei mais três e comi. Peguei uma mãozada e engoli. Aí, fiquei pensando: como se come pipoca? Tem jeito certo de comer pipoca? 

Com a mão, é claro! Nunca pensei em usar garfo e faca ou colher para comer pipoca, muito menos canudinho. É um alimento que se come com a mão e não se discute. Melhor dizendo, com os dedos. É uma arte. Bastam dois dedos, geralmente o indicador e o polegar, para levá-las à boca. Se a pessoa é gulosa, como eu, pega um monte delas, com todos os dedos, e come. De preferência mastigando bem, porque, apesar de macias, deve-se triturá-las para facilitar a digestão.

Pipoca combina com várias bebidas. Com café, que é a minha combinação preferida, com cerveja, com cachaça, com leite, com sucos de frutas. Conhecem outras combinações? Fiquem à vontade para sugerir. Pipoca só não combina com etiquetas muito refinadas, quando não for de bom tom sujar as mãos. E tem outro problema sério: é impossível comer pipocas sem derrubar algumas na mesa ou no chão. Podem reparar: onde se comem pipocas, sempre restam algumas espalhadas. Parece que elas continuam pulando.

Pipocas e cinema pode ser um arranjo perfeito para algumas pessoas, para mim é um desastre completo. Não consigo prestar atenção no filme e comer pipocas ao mesmo tempo. É sério: tem gente que come pipoca, bebe refrigerante, namora e assiste ao filme. Não consigo fazer essa proeza, faço uma coisa de cada vez; senão uma delas vai dar errado. Acontece que, se eu seguro com uma mão o saco de pipoca e com a outra o refrigerante, não vai dar pra segurar a mão da minha namorada, e ela também deve estar com as mãos ocupadas, com pipocas, é claro! Aí, o namoro vira nada, um fracasso. A solução é comer pipoca noutro lugar, bem melhor do que se entupir de pipocas e refrigerante, não entender o filme, não curtir o namoro e atrapalhar os outros. Eu explico: elas fazem barulho e têm um cheiro insuportável de manteiga. 

Outro dia, antes do filme começar, eu vi um sujeito subindo a escada da sala de projeção fazendo uma verdadeira acrobacia. Ele carregava dois sacos enormes de pipoca e dois refrigerantes. O coitado espremia os sacos de pipocas contra o peito e equilibrava de tal forma os copos de refrigerantes que eu não via a hora em que ele ia tropeçar nos degraus e tudo aquilo ia despencar no chão. Seria pipoca pra tudo quanto é lado, uma chuva de grãozinhos brancos. Ele não caiu, ufa! Dava gosto ver a cara de felicidade do indivíduo. Ele carregava um troféu nos braços. Que programão! Ora, vamos deixar de rabugice e comer pipocas?

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia