JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Previdência previdente

Posso até errar em algum comentário sobre a Previdência Social, porém, garanto, acertarei na maioria

23/07/2019 - 00:00:00. - Por Mário Salvador

Posso até errar em algum comentário sobre a Previdência Social, porém, garanto, acertarei na maioria. Vejamos, pois. Quando a Previdência Social foi criada, claro que não havia aposentados. Por outro lado, eram milhões a recolher, mensalmente, valores milionários para esse sistema. 

Em certa época, existiram várias classes de aposentadorias, pois quase toda profissão recolhia determinado valor para a Previdência: havia o Iapi (Industriários), o IAPC (Comerciários), dentre as demais categorias de serviços.

E graças ao volume de dinheiro em caixa, a Previdência financiou a compra de imóveis de forma curiosa: prestações fixas. Um colega meu de trabalho mostrou-me a inacreditável prestação de sua ótima casa própria: em moeda da época, dez mil réis! Depois, o financiamento passou a ser reajustado de acordo com a inflação. A televisão chegava aos lares uberabenses e era possível assistir à queixa de quem havia financiado imóvel: uma vez paga a última prestação, a dívida reajustada era quase o valor do imóvel!

Agências da Previdência já mantiveram médicos que atendiam segurados em consultórios. Na agência de Uberaba, já na Leopoldino de Oliveira, filas de previdenciários começavam por volta das 20 horas para consultas que só iniciavam às 8 da manhã. Muitos ficavam na fila, que crescia o dia todo, por uns trocados, reservando lugar para aposentados. Nem sempre segurados do fim da fila conseguiam a esperada consulta. (Retratei esse drama na poesia “A fila da agonia”.) Ao mesmo tempo, a Previdência pagava por cirurgias diversas em hospitais. Dinheiro sobrando ajudava previdenciários.

Em empresas, escritórios e consultórios particulares, a fiscalização era intensa. Num fato muito comentado nesta cidade, um cidadão, mesmo trabalhando havia tempos, não se filiara à Previdência. Por isso precisou pagar uma pequena multa, foi obrigado a providenciar o registro, contribuiu para os cofres previdenciários por dois anos e... foi aposentado por idade.

Julgando levar vantagem, a Previdência possibilitou aposentadoria com 30 anos de contribuição, em qualquer idade, recebendo 80% como benefício. Fiz as contas, optei por essa aposentadoria e nunca me arrependi.

O aposentado que voltasse a trabalhar já era obrigado a recolher o valor da Previdência. Cessado o contrato de trabalho, recebia de volta o que recolhera. Algumas vezes recebi de volta esse valor, mas quando a oportunidade cessou, fiquei no prejuízo de alguns trocados.

Há pouco tempo, o governo proibiu, por pelo menos seis meses a partir da aposentadoria, que seguradoras ofereçam empréstimo a aposentados. Antes da proibição, o oferecimento acontecia assim que o cidadão entrava com os papéis na Previdência, antes mesmo de ele saber se estava aposentado. Ou seja, alguém lá de dentro passava informações às seguradoras sobre as aposentadorias, provavelmente num fornecimento ilegal de informação.

Quanto às fraudes, sempre houve funcionário da Previdência capaz de criar formas de roubar dinheiro do sistema, por exemplo, aposentando quem não tinha direito, ou pagando benefício para falso aposentado.

É preciso considerar que, ao ser criada a Previdência, era comuníssimo o cidadão viver só até os quarenta anos (já velho, como se dizia então), entretanto os tempos são outros: hoje se vive mais. Um criterioso estudo sobre a Previdência, conforme edição da Folha de S. Paulo da Era Dilma, previa a falência do sistema, caso não houvesse mudança. Mesmo ciente disso, Dilma não quis nem ouvir falar em mexer no sistema! 

Uma grande mudança no sistema, com o aumento da idade e tempo de contribuição, bem como auditoria permanente para evitar furos de funcionários da Previdência garantirão economia de pelo menos um trilhão de reais e, com ela, a permanência do regime previdenciário. Uma das revisões anunciadas diz respeito ao fato de deputados hoje se aposentarem com salário integral após apenas dois mandatos (oito anos de contribuição). Com a reforma, o valor cairá para menos de seis mil reais. A ampla reforma no Sistema Previdenciário era indiscutivelmente necessária. Agora é ver para crer. Por enquanto fica a certeza de que, enfim, a Previdência deixou de ser imprevidente.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia