JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Traição na família

Um dos maiores conflitos que ocorrem nas famílias é gerado pela traição – afetiva ou mesmo profissional

24/05/2019 - 00:00:00. - Por Eliana Barbosa

Um dos maiores conflitos que ocorrem nas famílias é gerado pela traição – afetiva ou mesmo profissional. Quantos casos conhecemos de parentes que se tornam sócios e, pouco tempo depois, um deles age de má fé e instala a decepção no meio familiar... Ou então a infidelidade de um dos cônjuges em que a terceira pessoa deste triângulo amoroso é um ente querido – dupla traição! 

E talvez você se pergunte: Como lidar com esses fatos dentro da própria família? Como devem se comportar os parentes que presenciam essas deslealdades?

Vamos refletir:

• Em primeiro lugar, é bom você se lembrar de não colocar suas expectativas em outras pessoas, sejam elas parentes ou não, para não correr o risco de se decepcionar.

• A rivalidade é um sentimento bem comum no ambiente familiar e pode ser o desencadeador da traição.

• Caso seja você quem sofreu a traição, respire fundo, tome as providências legais, porém jamais pense em vingança. Perdoe, sabendo que perdoar não é aceitar ou se esquecer do erro do outro, ou ser passivo diante das dores que sofre. Perdoar é você desistir de querer que o passado tenha sido diferente e seguir adiante. Só assim você se sente livre para decidir seu futuro – se vai perdoar sem aceitar esse desrespeito e, assim, romper com o outro, ou se vai perdoar e dar mais uma chance a quem o traiu.

• Porém, cuidado: Se uma pessoa é capaz de trair, mentir e enganar, então, definitivamente, não é alguém confiável. Se você aceitar de volta a parceria ou a amizade com alguém que foi desleal a você, correrá o risco de passar o resto da vida em desconfiança.

• E os outros parentes, como devem agir? O que aconselho é que busquem averiguar a verdade e sejam justos. Muitas vezes é preciso, sim, tomar partido, desde que todos os fatos sejam apurados, mas que não interfiram no conflito com conselhos ou palpites. Isso azeda ainda mais os relacionamentos. O melhor é orar por todos os envolvidos.

• Erros e deslealdades podem ser compreendidos e até perdoados, porém jamais aceitos como algo normal.

• O respeito é e sempre será um valor primordial para manter a harmonia e o bem-estar nas relações familiares. 

(*) Life coach, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento, apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos
www.elianabarbosa.com.br
eliana@elianabarbosa.com.br

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia