JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 18 de maio de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Cavalo que agonizava em rua da Vila Arquelau recebe socorro

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

- Por Helena Cunha Última atualização: 07/06/2011 - 14:50:40.

Cavalo que se encontrava agonizando em via pública desde sexta-feira foi recolhido e encaminhado ao Hospital Veterinário de Uberaba. Denúncia chegou à redação do Jornal da Manhã por meio da presidente da Sociedade Uberabense de Proteção e Amparo aos Animais (Supra), na tentativa de conseguir a remoção e tratamento do animal.

Com sintomas de fraqueza e desidratação, o cavalo ficou prostrado na rua Olímpio Jacintho Silva, na Vila Arquelau, e, sem ter para onde levá-lo, o proprietário do animal, Rubens Cândido, acionou a Polícia Ambiental, e veterinário que chegou a aplicar soro. Cândido acreditava que o animal deveria ser sacrificado, para evitar mais sofrimento.

A presidente da Supra, Denise Max, afirmou que desde sexta-feira o cavalo estava no local, rodeado de crianças, que estavam cuidando dele. No domingo, chegaram a colocar um cobertor em cima do bicho para protegê-lo do frio.

Procurado pela reportagem, o diretor de Recursos Ambientais da Secretaria de Meio Ambiente e Turismo, José Sidney da Silva, explicou que a primeira ação seria providenciar o tratamento do animal, que, após avaliação de veterinário do Centro de Zoonoses, foi encaminhado ao Hospital Veterinário de Uberaba, onde recebe os cuidados necessários. Em seguida, vai identificar o proprietário e, caso comprove maus-tratos, ele poderá ser punido, conforme prevê o código municipal do meio ambiente.

Gerente administrativo do Hospital Veterinário de Uberaba, Afonso Celso Medeiros afirma que o cavalo estava muito fraco e desidratado, com algumas feridas. Ele permanece internado em observação, onde ficará por no mínimo 48 horas, sob os cuidados de professores e estudantes do curso de Medicina Veterinária. Ele foi colocado no soro e chegou a se alimentar e beber água, já recuperando bem. “Não há necessidade de sacrificá-lo, tudo indica que ele vai sobreviver. Só fazemos eutanásia em último caso”, conclui Afonso.

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia