JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 23 de maio de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Continua depois da publicidade



Saúde admite possibilidade de vacinação infantil nas escolas de Uberaba e prepara documentação

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

17/01/2022 - 14:20:00. - Por Luiz Henrique Cruvinel Última atualização: 17/01/2022 - 14:21:12.

A coordenadora de vacinação em Uberaba, Ana Vera Abdanur, admitiu que a estratégia de utilizar as salas de aula para a aplicação da vacina contra a Covid-19 em crianças já está na alçada da gestão. Em entrevista à Rádio JM, Ana Vera explicou como deve ser este novo protocolo e quais ações serão tomadas para conscientizar os pais sobre a importância da imunização.

Para ela, a vacinação contra a Covid-19, seja infantil ou adulta, é questão de saúde pública, e deve sobrepor opiniões individuais ou pouco fundamentadas. Segundo a coordenadora, nas próximas semanas serão intensificadas as campanhas de conscientização por meio das redes sociais, a fim de esclarecer as dúvidas sobre os imunizantes e mostrar a relação de prevenção trazida pela vacina.

Leia mais: Minas Gerais não vai exigir receita médica para vacinação infantil

Municípios devem definir as melhores estratégias para imunizar as crianças

A intenção é favorecer a estratégia de vacinação das crianças de 5 a 11 anos diretamente nas escolas, já que a aplicação ainda depende de autorização expressa de pais ou responsáveis. Segundo Ana Vera, o Estado já enviou um modelo de autorização necessária para que o Município se adeque e distribua aos adultos. O plano já havia sido defendido pelo secretário estadual de Saúde, Fábio Baccheretti, aos microfones da Rádio JM.

A formulação do projeto em Uberaba ainda está em discussão, diz a coordenadora. No entanto, ela adiantou que a ação seria feita mediante demanda: a escola interessada realizaria uma reunião com os pais e recolheria as permissões, então a Central de Vacinas seria acionada e levaria equipes para iniciar a aplicação.

“Nós faríamos de acordo com o aumento da demanda. Uma escola solicitaria, mediante reunião com os pais, e com as autorizações previamente assinadas. Estando toda a documentação legal, [a equipe] poderia ir a uma determinada escola. Lembrando que as autorizações têm que ser feitas por escrito”, finaliza Ana Vera Abdanur.

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia