JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 07 de dezembro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Exame de toque: como combater o preconceito entre os homens

Para especialista, saúde deve estar acima de tabus que colocam a vida em risco

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

24/11/2021 - 11:59:30.

O câncer de próstata é o tipo mais comum da doença entre a população masculina. No Brasil, isso representa cerca de 29% dos diagnósticos, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Mesmo com dados alarmantes, o exame de toque, realizado para detectar a doença, ainda é considerado um tabu pelos homens.

Entendendo a importância da prevenção e tratamento, o diretor de oncologia do Sistema Hapvida, Alexandre Gomes, apresenta dados técnicos que comprovam a importância e eficácia do procedimento, que deve superar o estigma. “Muita gente pensa que vai ficar ‘menos masculino’ e coisas do tipo. É preciso entender que o exame mais importante para se detectar o tumor de próstata na fase inicial, é o toque retal”.

Mesmo atingindo diferentes homens, existem grupos específicos que estão mais expostos ao risco. Nesse sentido, Gomes orienta sobre quais condições devem ser levadas em consideração nesta análise. “O Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Urologia, recomendam que homens a partir dos 50 anos procurem o seu urologista para fazer o exame de toque retal anualmente”.

Há casos em que, especificamente, o exame deve ser feito antes de alcançar a idade citada anteriormente. Isso acontece porque existem grupos considerados de riscos e com maior predisposição à doença. “Se for em caso de homens negros ou com histórico familiar de câncer de próstata, deve-se iniciar o acompanhamento aos 45 anos. É um exame que salva vidas, e o importante é ter saúde”, finaliza o especialista.

Sobre o Sistema Hapvida

Com mais de 7,4 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do RN Saúde, Medical, Grupo São José Saúde, Grupo Promed, Premium Saúde, além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 38 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 48 hospitais, 203 clínicas médicas, 49 prontos atendimentos, 176 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.
 

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia