JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 29 de julho de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Samu completa 14 anos de funcionamento em Uberaba, mas ainda sofre com trotes incessantes

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

20/07/2021 - 15:49:26. - Por Luiz Henrique Cruvinel Última atualização: 20/07/2021 - 16:18:27.

Foto/Arquivo JM

Em Uberaba, desde 2007, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) presta assistência médica imediata nas sete colinas da cidade e auxilia outros serviços de resgate, mas não está imune aos trotes telefônicos. Por meio do 192, o Samu recolhe informações de atendimento e direciona uma ambulância de urgência ao local da ocorrência, mas nem sempre essa atividade é concluída, devido às inúmeras tentativas de boicote ao sistema.

De acordo com a coordenadora geral do Samu, Ana Paula Jardim, o índice atual de trotes recebidos beira 8%. Ela afirma que este número caiu bastante, principalmente pelo apoio da imprensa na difusão dos informativos médicos. No passado, os trotes chegaram a representar 25% dos atendimentos do Samu.

A responsável revela que dentro deste percentual existem trotes muito bem orquestrados, que exigem empenho de todas as forças de segurança do município, como a própria Guarda Municipal, e as empresas de auxílio, como as concessionárias das rodovias.

O que é o Samu?

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) é um mecanismo de socorro e assistência médica mantido pelos recursos federais, estaduais e municipais. 

No dia 20 de julho de 2021, o Samu em Uberaba completa 14 anos de funcionamento, com média de quase 100 atendimentos na ambulância e 800 ligações recebidas por dia.

Como funciona o atendimento?

Ao discar o 192, o requerente fala diretamente com um técnico de enfermagem, que anota todas as informações necessárias para acionar a ambulância: endereço, idade do paciente, nome e natureza do acontecimento. Essa triagem é feita para que a equipe responsável saiba de antemão quais recursos empenhar no socorro, e evitar gastos desnecessários. Caso seja identificada uma situação de não urgência, os socorristas fazem uma orientação preventiva.

“São leituras que fazem o médico fazer o atendimento com segurança. Se eu só atendesse o telefone e fosse fazer o atendimento, eu só faria o simples, e deixaria de atender um outro mais grave, que necessitaria de um trabalho mais pesado”, declara a coordenadora.

Com a ambulância acionada, o Samu tem o tempo de saída de dois minutos, e cerca de 15 minutos para chegar no endereço do acontecimento. Ana Paula reforça que esse empenho pode ser prejudicado por diversos fatores, como trânsito intenso e obstáculos nas vias.

Número de atendimentos

Segundo Ana Paula, o Samu atende mais de 800 chamadas por dia, mas tem uma média de 85 saídas de ambulância a cada 24 horas. Esse número é flexível, e depende da quantidade de demanda recebida pelo tridígito 192. A coordenadora conta que o Samu já chegou a fazer mais de três mil atendimentos em um único mês.

Parceria com bombeiros

Outro ponto de assistência médica na cidade é o Corpo de Bombeiros. O 8º Batalhão de Bombeiros Militar de MG, com sede em Uberaba, presta auxílio também em casos de socorro. 

Contudo, essa co-parceria já trouxe problemas no passado. Muitas vezes os dois serviços chegavam juntos ao endereço, e empenhavam equipes grandes para um atendimento já ocorrido. Agora, segundo Ana Paula, esse funcionamento está mais transparente. Hoje, caso o Bombeiros receba pedidos de urgência e socorro, há um ramal direto com o Samu para que a corporação acione as ambulâncias. 

Além disso, o empenho das duas equipes é coordenado em ocorrências pontuais, como acidentes. Existem casos de colisão de veículos onde a vítima fica presa entre as ferragens, e o Samu não tem a ferramenta, ou treinamento, necessário para fazer a retirada. Nesta hora entram os Bombeiros, que fazem o atendimento primário e encaminham o paciente para o Samu.

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia