JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 29 de julho de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Sesurb prevê obras de viadutos da Cyrela e 050 prontas em 3 meses

Pedido de realinhamento de preços teria atrasado a execução das obras, sendo que, na 050, a implantação da passagem inferior teve início há mais de 3 anos

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

16/06/2021 - 00:00:00. - Por Luiz Henrique Cruvinel

Foto/Jairo Chagas

 

Obra de passagem inferior da BR-050 está com mais de 90% concluída e aguarda fechamento de processo de realinhamento de valores para ser retomada

Após o acerto de novo realinhamento de valores com a construtora, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e Obras (Sesurb) aguarda a documentação necessária para a retomada das obras do viaduto de transposição da linha férrea da avenida Interbairros, financiado pela Cyrela, e da passagem inferior da BR-050, que interliga os bairros São Cristóvão e Recreio dos Bandeirantes. Ambos projetos são de responsabilidade da mesma empresa, que solicitou o ajuste de custos devido às alterações no preço dos materiais. Agora, os documentos estão em análise pela Secretaria de Administração (SAD).

De acordo com o secretário adjunto da Sesurb, Pedro Henrique Arduini, as obras acontecem desde o começo do ano no atual governo, mas em ritmo lento. Com o pedido de realinhamento, o trabalho tende a ficar mais moroso, já que o trâmite legal é complexo. Na passagem inferior da BR-050 faltam poucas etapas para concluir o projeto e a expectativa é de finalização em três meses, após a retomada das atividades.

“Nesta semana, chega a documentação avaliando os pleitos da empreiteira, e, nas próximas semanas, entendemos que serão retomadas as obras. Na BR-050 espera-se que sejam retomadas nas próximas semanas. Lá, para liberação da via, faltam só a execução da terraplanagem, a conformação da pista e a pavimentação. De obra, em torno de três a quatro semanas. Os prazos ficam travados pelas questões legais, mas eu acredito que, com a retomada, em três meses a gente acaba. Tem que terminar antes do período chuvoso, porque temos que fazer um aterro lá”, avalia o responsável.

Pedro Henrique declara que, normalmente, as empresas vencedoras das licitações que são de fora acabam apresentando quadro financeiro frágil e situações de realinhamento são insistentes, ainda mais no período pandêmico. Contudo, a intenção da pasta é agilizar o processo legal e garantir o cumprimento do novo prazo. Conforme contrato anterior, as obras teriam que ser concluídas em março deste ano.

 

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia