JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 31 de outubro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Saúde espera regularizar a fila eletrônica em três a quatro meses

Demanda reprimida de cerca de 800 procedimentos cirúrgicos de antes da pandemia pode ter dobrado

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WatsApp: 34 99777-7900

16/10/2020 - 00:00:00. - Por Daniela Brito


Foto/Jairo Chagas

Coordenador do Complexo Regulador de Leitos do Município, Raelson Batista, estima que cerca de 30 mil pessoas aguardam na fila para exames  

Retomada das cirurgias eletivas deve regularizar a fila eletrônica que está com demanda reprimida, segundo revela o coordenador da regulação municipal, o médico Raelson Batista.

De acordo com ele, com a suspensão das cirurgias eletivas, obrigatoriamente, em decorrência da pandemia, a fila eletrônica pode ter dobrado, principalmente porque desde março os ambulatórios também não funcionam. Antes da pandemia, por exemplo, em um único hospital, já havia uma demanda reprimida de 800 procedimentos cirúrgicos, com algum tempo de espera.

Mas, com a retomada, a expectativa é regularizar a demanda entre três e quatro meses. “Estamos nos organizando para conseguir zerar esta demanda reprimida”, diz o médico.

Em relação aos exames, estima-se que há trinta mil pacientes aguardando na fila eletrônica para realizá-los. Raelson Batista diz que fala-se muito em cerca de cem mil exames para serem realizados – o que não é bem assim. Ele explica que este número se dá por conta de uma única pessoa ter a necessidade de realizar de dez a doze tipos de exames de sangue, por exemplo. “Isso se multiplica, é obvio, em um quantitativo bem maior”, esclarece.

Por outro lado, ele esclarece que está sendo elaborado um plano estratégico para a retomada dos exames e para o reagendamento dos pacientes que estão aguardando por atendimento de especialidade, para normalizar a situação. 

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

Continua depois da publicidade

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia