JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 18 de setembro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Permissionários amargam mais prejuízos para adequação do camelódromo e lamentam decisão judicial

27/05/2020 - 11:20:09. - Por Michelle Rosa


Foto/Jairo Chagas

No mesmo dia em que receberam orientações do município para funcionamento, permissionários do Centro Pop (camelódromo), foram surpreendidos com a suspensão do novo decreto publicado pela Prefeitura para reabertura geral do comércio pela Justiça Federal.

“Nós não esperávamos por essa. Ficamos por dois meses fechados e vamos permanecer com as portas abaixadas. Quando achamos que estava tudo certo para voltar ao trabalho a todo vapor... Muitas famílias dependem desse comércio e já não conseguem mais se sustentar”, desabafa o comerciante Carlos Antônio da Silva.

O permissionário está no camelódromo há mais de 20 anos e conta que nunca viveu um momento com tanta incerteza. “Fizemos tudo como o previsto para reabrir as portas. Fizemos a limpeza, interditamos os banheiros públicos, colocamos o álcool gel em todos os boxes. Tivemos gastos, tudo isso nos deu muito trabalho e agora nem sabemos quando podemos realmente abrir”, aponta. 

Ricardo Raponi é um dos representantes dos permissionários e revelou à reportagem que o centro comercial já havia, inclusive, arrumado termômetros para as entradas do camelódromo. A circulação ontem foi mais fraca, mas todos estavam otimistas com o decreto, que poderia trazer mais fôlego após tanto tempo fechado. 

Na decisão, o juiz federal Élcio Arruda restabeleceu a partir de hoje a validade do decreto anterior que permitia apenas a abertura parcial das lojas e com barreiras físicas na entrada para impedir a circulação de clientes no interior.

O funcionamento das lojas de rua é de segunda a sexta-feira, no período entre 9h e 17h. No centro comercial, atualmente, existem 64 boxes ativos, com a comercialização de itens diversos, e está fechado desde quando foi decretado o fechamento do comércio em 20 de março.

Leia também: Prefeitura emite nota oficial rebatendo decisão da Justiça Federal

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia