JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 04 de junho de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Mais uma indústria anuncia o encerramento de atividades em Uberaba; 33 trabalhadores demitidos

22/05/2020 - 12:13:19. - Por Michelle Rosa Última atualização: 22/05/2020 - 15:31:26.

Foto/Divulgação 


Empresa instalada na BR-050 produz embalagens industriais

A Greif Embalagens Industriais do Brasil vai fechar as portas de suas instalações localizadas na BR-050. A empresa ficou em Uberaba por quase 12 anos e está encerrando a produção de embalagens industriais. Cerca de 33 trabalhadores foram demitidos.

A reportagem do Jornal da Manhã entrou em contato com a empresa, mas não obteve retorno. Segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas de Uberaba e Região (Stiquifar), a empresa fez acordo com os funcionários demitidos. “O sindicato conseguiu fechar um pacote com a Greif, onde os funcionários desligados terão direito, durante 6 meses, ao Vale Alimentação e Plano de Saúde”, explica.

Ainda de acordo com o Stiquifar, primeiramente todos serão desligados com exceção de 6 empregados que ficaram para concluir o trabalho de encerramento das atividades em Uberaba, por um período curto. O departamento de Recursos Humanos garantiu ao sindicato que está trabalhando para conseguir a recolocação dos seus trabalhadores no mercado de trabalho, principalmente diante dessa crise na saúde pública e desaquecimento da economia em decorrência da Covid-19.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Uberaba (Sedec) relatou que a pasta, durante anos, trabalhou no sentido de oferecer a possibilidade dela instalar a sua sede própria no Distrito Industrial 3, chegando inclusive a escolher uma área próxima à Ourofino, já que a Greif tem a especialidade na industrialização de galões plásticos para utilização na indústria de defensivos agrícolas.

“A empresa Greif Embalagem não está instalada no Distrito Industrial e sim na BR-050 sentido São Paulo. A empresa ficava em galpão alugado, sem sede própria em Uberaba. O mercado de Uberaba é excepcional para esse tipo de empresa, uma vez que há aqui três indústrias de defensivos agrícolas, como a Ourofino, a FMC e a Sipcam Nichino Brasil, além de ter outra indústria desse segmento de embalagens, a UPL Brasil, na cidade vizinha de Ituverava. Portanto, aqui [em Uberaba] logisticamente para esse tipo de empresa é o lugar ideal”, explica o secretário José Renato Gomes.

A presidente da Fiemg - Regional Vale do Rio Grande, Elisa Araújo, lamentou o fechamento da empresa e comentou que a crise econômica gerada pela pandemia pode acelerar muitos processos no meio empresarial e, juntamente com essa aceleração, virão muitos desafios. Segundo a presidente, o empresário no Brasil, mesmo sem pandemia, já precisava ser muito flexível, pois há um enfrentamento ao custo de produção muito alto e muitas incertezas jurídicas no ambiente de negócios.

“Todas essas dificuldades, unidas aos novos costumes dos consumidores, demandam uma mudança muito rápida de gestão. Alguns processos e indústrias, infelizmente, não terão a condição de adaptação pelo modelo de negócio. Deste modo, encerrarão suas atividades. É lamentável ver uma empresa como esta (Greif Embalagens) fechando as portas e 33 famílias perdendo suas rendas. Não é fácil para o empresário tomar uma decisão tão dolorosa. Fatos assim me mostram que o associativismo é um caminho. A Fiemg e seus sindicatos patronais lutam, incessantemente, para que o ambiente de negócios seja aprimorado e que as empresas tenham apoio e incentivo para produzir mais e melhor, gerando progresso e garantindo empregos." pontua.

Buscando novas empresas do setor

Sobre a possibilidade de novas empresas se instalarem na cidade para suprir as necessidades e demandas relacionadas ao mercado de embalagens, o município destacou que o secretário José Renato Gomes e o prefeito Paulo Piau trabalham para trazer a Uberaba outras empresas desse segmento de embalagens, como a empresa Campo Limpo, por exemplo, que tem uma unidade instalada em Taubaté. Tendo, inclusive, o secretário e o prefeito feito visitas in loco.

“Essa empresa pertence aos principais fabricantes de defensivos agrícolas do país, sendo aproximadamente 30 empresas sócias da Campo Limpo. Existe uma legislação que empresas de defensivos agrícolas têm que fazer a logística reversa, ou seja, buscar os galões para reaproveitamento, então a Campo Limpo criou parceria com o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias - Inpev, com unidade em Uberaba no DI2, que recebe a embalagem vazia, encaminha para a Campo Limpo reaproveitar, reciclar o material”, explica o secretário.

Diante do cenário, a Greif Embalagem ficou sem competitividade, em função desse tipo de trabalho que é realizado pela Campo Limpo e também pelas tecnologias de investimento.
“Então, a saída da Greif Embalagem da cidade para o segmento é em função da perda de produtividade. Mas Uberaba continua sendo um mercado interessante para receber investimentos nesse setor. Estamos atentos e vamos retomar as ações junto a empresas que possam vir para Uberaba em função desse mercado”, conclui.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia