JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 29 de maio de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Mesmo em funcionamento, supermercados registram queda nas vendas

A redução de pessoas em circulação nos estabelecimentos imposta por decreto e a falta de dinheiro das pessoas, principalmente informais, seriam causa da queda nas vendas

27/03/2020 - 15:58:03. - Por Daniela Brito Última atualização: 27/03/2020 - 16:01:17.

Foto/reprodução

Regras determinadas em decreto reduzem volume de pessoas em circulação nos supermercados da cidade

Após a corrida aos supermercados, estabelecimentos já registram queda no movimento em Uberaba. A abertura destes locais é permitida, porém, existem regras para ao acesso, conforme o decreto municipal.

O acesso ao supermercado é limitado, dependendo do tamanho do estabelecimento, sendo uma pessoa a cada 5 m2 e a obrigatoriedade de manter a distância de dois metros de cada pessoa. A medida, no entanto, acaba reduzindo o número de clientes e, consequentemente, há queda nas vendas.

Diretor da Associação dos Supermercados do Triângulo Mineiro (Assuper) e proprietário da Zebu Carnes, Matusalém Alves, informa que a queda do movimento vem sendo observada gradativamente. “É um declínio que já esperávamos, no dia-a-dia,’, diz. Ainda segundo ele, a situação não está relacionada à corrida aos supermercados, observada no início do mês, antes do início do isolamento social.

O problema é decorrente, conforme o diretor da Assuper, da falta de dinheiro em circulação. Conforme Matusalém Alves, não há como mensurar quais são os impactos econômicos, tendo em vista que há muita incerteza, por parte de consumidores, principalmente os trabalhadores informais, que não estão tendo dinheiro no bolso. “Muitos não sabem nem se receberão seus salários. Há muita insegurança entre todos. Isso acaba impactando as vendas no varejo”, diz.

Para Matusalém Alves, a economia está abalada e existe muita apreensão em relação ao futuro. Além disso, o empresário diz que posicionamentos do presidente Jair Bolsonaro confunde mais as pessoas, mas acredita num consenso para que tudo seja resolvido.
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia