JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 27 de maio de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Médico diz que suspensão de cirurgias é medida equivocada

Levantamento comprova que, nos meses de fevereiro e março, o número de cirurgias de urgência e emergência realizadas no Hospital de Clínicas é menor que nos demais meses do ano

19/02/2020 - 00:00:00. - Por Daniela Brito Última atualização: 19/02/2020 - 08:29:56.

Fonte HC/UFTM 

Médico e professor da disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo da UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro), Eduardo Crema critica a medida que suspendeu as cirurgias eletivas para a reserva técnica de leitos na chamada “Operação Carnaval”, adotada pela Secretaria Municipal de Saúde. “É uma medida equivocada, sem nenhum respaldo técnico”, afirma. Eduardo Crema fez levantamento do atendimento dos últimos cinco anos das cirurgias de emergências realizadas pelo bloco cirúrgico do Hospital de Clínicas da UFTM. 

O levantamento comprova que, nos meses de fevereiro e março, a quantidade de cirurgias de urgência e emergência realizadas no HC foi menor que nos demais meses do ano. Em alguns anos o número destas modalidades de cirurgia, feitas no período, foi semelhante ao dos demais meses do ano. Ainda segundo o levantamento, as maiores demandas ocorrem nos meses de janeiro e dezembro. É importante ressaltar, segundo o médico, que o HC, em todos os meses nos últimos cinco anos, foi responsável por realizar de 56% a 58,6% de cirurgias de urgência em Uberaba.

Além disso, ele diz que suspender as cirurgias eletivas é uma decisão irresponsável, que prejudica a população. O quadro dos pacientes pode evoluir para casos mais graves e transformar em emergências médicas – o que vai sobrecarregar o Pronto-Socorro. Por exemplo, um paciente que possui pedra na vesícula pode evoluir para uma pancreatite aguda. “É uma decisão idiota, sem base científica alguma. Uma irresponsabilidade adiar cirurgias já programadas de pacientes. Muitos casos, se não operarmos, podem acabar se tornando mais graves, comprometendo a saúde dos pacientes. Aí teremos mais urgências e emergências médicas”, esclarece. 

Eduardo Crema também afirma que a medida sugere que o carnaval em Uberaba e demais cidades da região é perigoso – o que não é verdade. “Não vejo necessidade de tomar essa medida, sendo que nosso carnaval é tranquilo, que não aumenta em nada as cirurgias de urgência”, avalia.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia