JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 23 de fevereiro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Saúde mental: unidades registram até 16 mil procedimentos ao mês em Uberaba

O diretor Sérgio Marçal explica que rotineiramente equipes de Saúde da Família se deparam com casos relativos à saúde mental

09/12/2019 - 00:00:00.

Jefferson Genari


Sergio Henrique Marçal alerta que o álcool é a droga com maior consumo e que mais ocupa a rede pública em Uberaba

As unidades de saúde de Uberaba registram, em média, até 16 mil procedimentos relativos à saúde mental por mês em Uberaba. Os números foram revelados pelo psicólogo e diretor piscossocial Sérgio Marçal, ao colunista Wellington Cardoso, na coluna Falando Sério, do Jornal da Manhã

Marçal explica que rotineiramente as equipes de Saúde da Família se deparam com problemas de saúde mental. Inclusive, por sua proximidade com as famílias, as equipes da atenção básica são recurso estratégico no enfrentamento de transtornos causados por álcool e droga. Como consequência do uso abusivo tanto do álcool como das drogas ilícitas há o aumento de transtornos mentais na sociedade, inclusive em Uberaba. 

A droga com maior consumo e que mais ocupa a rede pública de saúde em Uberaba é o álcool. Sérgio Marçal analisa que o dano provado pelo álcool é extenso, pois, além de ocupar a rede de saúde na recuperação, lota o sistema hospitalar e de segurança pública, especialmente, no final de semana. “Fato é que o álcool provoca prejuízos da cabeça aos pés. Desde os problemas neurológicos e demência precoce até os problemas circulatórios, gástricos e por aí vai. O dano é em todo o corpo”, alerta o psicólogo.

Marçal aposta na educação pela informação para que seja possível fazer a intervenção precoce e evitar agravos. “A gente vive hoje uma banalização de uso de álcool, inclusive, entre os adolescentes. As festas open bar, os happy hours de final de tarde que começam na segunda, terça-feira. A gente vê as pessoas bebendo mais, com mais frequência e acaba que esse perfil de uso, abuso e dependência acaba sendo uma escala comum.” 

Atualmente, em média, 350 pessoas em estado grave são atendidas por mês no CAPS AD.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia