JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 18 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Enfermeira denuncia trabalho forçado no Hélio Angotti; hospital contesta

Acusação foi enviada ao Jornal da Manhã por meio do serviço “fale conosco”, disponível ao leitor no site JM Online. A reclamante optou pelo anonimato

12/06/2019 - 00:00:00. - Por Luiz Gustavo Rezende Última atualização: 12/06/2019 - 14:14:26.

Foto/arquivo


Hospital Dr. Hélio Angotti diz que denúncia de técnica de enfermagem não procede e que ela tem canais internos para reclamar

Técnica de enfermagem denuncia que as profissionais que trabalham no período noturno no Hospital Doutor Hélio Angotti estão sendo submetidas a realizar trabalhos que seriam de competência de enfermeiras. A acusação foi enviada ao Jornal da Manhã por meio do serviço “fale conosco”, disponível ao leitor no site JM Online. A reclamante optou pelo anonimato. 

De acordo com ela, enfermeira, responsável técnica do período noturno, está passando serviços de sua responsabilidade para serem realizados pelas técnicas de enfermagem e as coagindo para realizá-los sem qualquer contestação, sob ameaça de serem demitidas. “Estamos sendo ameaçadas a fazer todo tipo de serviço, senão seremos demitidas”, afirma a reclamante.

De acordo com ela, há mais de 15 dias o Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) está sem paciente e nem um dos profissionais ajuda em outros setores ou é remanejado para áreas que estão sobrecarregadas. Ela apontou que no posto três são dois técnicos de enfermagem para atender 16 pacientes e no posto seis são cerca de 22 para três técnicos de enfermagem atenderem. Ela revelou que sugeriu o remanejamento de profissionais ociosos de outros setores e que a responsável por sua área a ameaçou de demissão. “As enfermeiras destes setores ficam coniventes com a situação, proibindo e censurando as técnicas de enfermagem de expressar descontentamento perante ameaça”, reclama.

Por meio de nota, o Hospital Dr. Hélio Angotti respondeu: “As denúncias feitas de forma anônima não procedem e que o hospital possui canais legais para que o colaborador possa deles se utilizar”. Aponta na sequência que, em caso de denúncia anônima, a ouvidoria é o canal indicado pela administração. Sobre o caso de “questões internas ligadas ao setor de enfermagem, devem ser dirigidas à Comissão de Ética de Enfermagem, regida e regulamentada pela legislação vigente e pelo Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (Corem/MG), finaliza.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia