JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 17 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Motoristas se mobilizam no WhatsApp após nova alta do preço dos combustíveis

Litro da gasolina supera R$ 5 em diversos postos da cidade; mobilização no WhatsApp garante valor menor em posto da cidade

24/05/2019 - 09:30:08. Última atualização: 24/05/2019 - 14:56:57.

Divulgação

Motoristas que trafegam pelas ruas de Uberaba foram surpreendidos por nova alta no preço dos combustíveis praticados pelos postos da cidade. Pesquisa informal realizada pela reportagem do JM Online identificou que o litro da gasolina bate a casa dos R$ 5,06 na grande maioria dos estabelecimentos pesquisados. Já para o etanol, o valor médio encontrado pela reportagem foi de R$ 3,46. Alguns estabelecimentos, inclusive, que ainda mantinham preços abaixo desses valores informaram a reportagem que os preços vão subir ainda hoje. 

Os altos preços mobilizam motoristas uberabenses. Ricardo de Souza Teles é comerciante e representante dos grupos no WhatsApp “Preço de Combustíveis”. À reportagem, ele informou que, a exemplo da última mobilização, novamente o Petro Graal vai equiparar os valores aos praticados no interior paulista – R$ 2,77 o litro do etanol e R$ 4,69 o litro da gasolina. 

Ricardo Teles explica que a promoção de preços dura até domingo e a expectativa é que supere a quantidade de veículos da última mobilização, no dia 11 de maio, quando mais de 10 mil veículos abasteceram no posto durante todo o fim de semana. “Nessa agora eu penso que vá até mais (gente abastecer). Quem já foi, viu que compensa, preço bom, combustível bom, e a gente torna a fazer o movimento”, explica Ricardo Teles, que ainda não descarta caravana para Igarapava (SP) caso os preços em Uberaba não abaixem. 

A última pesquisa realizada pela Fundação Procon foi na segunda-feira (20) e há previsão de que novo levantamento de preços nos estabelecimentos da cidade aconteça somente na semana que vem. 

Leia também: CMU vai realizar audiência pública para discutir preço de combustíveis

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia