JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Serviços assistenciais podem ser comprometidos com demissões no HC-UFTM

Processos internos de trabalho estão sendo readequados para minimizar a situação

26/11/2018 - 09:45:42. - Por Letícia Morais Última atualização: 26/11/2018 - 09:47:19.

Foto/Arquivo JM

Processo de desligamento deve ser finalizado em fevereiro do próximo ano

O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) informa que serão desligados 324 trabalhadores com vínculo empregatício fundacional (Funepu). Segundo nota encaminhada à reportagem, o processo de desligamento teve início semana passada e será finalizado em fevereiro de 2019.

“Pode haver comprometimento de serviços assistenciais, principalmente em áreas nas quais o hospital trabalha com produção acima do pactuado com a Rede e no Pronto Socorro, que registra número de internações três vezes maior que sua capacidade operacional (superlotação)”, afirma a nota.

Para minimizar essa situação, o HC-UFTM garante que está readequando processos internos de trabalho e mantém reuniões com a rede municipal e regional de saúde, assim como com a Promotoria Pública Estadual e Federal, visando pleitear a otimização da abertura de leitos dos hospitais da rede que não estão sendo ofertados (Hospital Regional e hospitais dos municípios da região).

Procurada pela reportagem, a assessoria da Fundação de Ensino e Pesquisa de Uberaba (Funepu) confirmou que as demissões atingem os colaboradores hoje lotados no Hospital de Clínicas. “Estes desligamentos fazem parte do TAC firmado com o Ministério Público, há aproximadamente oitos anos, quando o Governo Federal assumiu a gestão de parte dos serviços prestado pela Funepu, por meio da Ebserh. Desde então, os desligamentos vêm acontecendo de forma gradativa. Estas últimas já estavam previstas e eram de conhecimento de todos os colaboradores, desde o início do processo, como acima explicado”, reforça a nota.

Com relação às substituições, a Funepu ressalta que não participa desse processo, ficando à cargo da Ebserh juntamente com a UFTM. 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia