JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Reintegração de posse retira 50 famílias de fazenda na BR-262

Medida da Justiça foi expedida pela 4ª Vara Cível no ano passado e executada nesta quinta-feira com acompanhamento da PM

- Por Geórgia Santos Última atualização: 02/02/2018 - 06:47:47.

Sandro Neves


Trabalhadores Rurais Sem Terra juntaram seus pertences e colocaram em caminhão durante a reintegração ontem

Ação de reintegração de posse é realizada em área na BR-262, próximo ao Chuá. Cerca de 50 famílias, em torno de 250 pessoas, viviam no local, porém, no momento da execução, muitos já haviam se retirado. A ação aconteceu nesta quinta-feira (1º) e foi acompanhada pela Polícia Militar e agentes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.

Conforme informações repassadas pela tenente PM, Monalisa de Fátima Simino Mota Rocha, a Fazenda Pão de Queijo foi ocupada em 2015. Em 2017, a polícia foi comunicada pela Justiça de que havia sido autorizada a reintegração de posse e a 4ª Vara Cível solicitou apoio para acompanhar o oficial de Justiça, na ação. “A operação começou às 4h, e às 6h foram realizados o cerco e o isolamento do local, impedindo a entrada de moradores, apenas a retirada dos pertences”, afirmou.

Segundo a tenente, antes da reintegração de posse foram realizadas diversas reuniões com os representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e os posseiros, comunicando a retomada, fazendo acordo, e pedindo que saíssem antes. “Quando chegamos, muitos já não estavam mais no local. Os poucos que ainda permaneciam, faziam a sua mudança, inclusive foram disponibilizados caminhões para o transporte dos pertences. Houve comunicado prévio, e durante toda a ação a polícia estava em acordo com os representantes do MST”, revela a tenente da Polícia Militar.

De acordo com a tenente Monalisa, a ação aconteceu de forma pacífica, sem confronto. A área é de 142 alqueires, destes, 50% haviam sido ocupados pelos integrantes do Movimento. Não houve a necessidade de buscar abrigos, pois as famílias que estavam no local foram para casa de parentes e amigos. “Assim que concluímos a operação, entregamos o imóvel para o proprietário, já totalmente desocupado, e repassamos instruções de como deve agir para evitar uma nova ocupação”, explicou a tenente.

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia