JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 28 de março de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Posturas mantém fiscalização ao comércio ambulante no calçadão

Desde junho os fiscais estão presentes diariamente no centro de Uberaba para coibir a presença de ambulantes, que é proibida por lei

- Por Geórgia Santos Última atualização: 20/08/2017 - 08:42:29.

Foto/Arquivo

Equipe do Departamento de Posturas estabeleceu rotina de fiscalização no centro da cidade, principalmente no calçadão da Artur Machado

Fiscalização do Departamento de Posturas no calçadão continua rotineira. Desde junho os fiscais estão presentes diariamente no centro de Uberaba para coibir a presença de ambulantes, que é proibida por lei para a região. A medida vem gerando resultados, muitos vendedores não estão mais no local, mas, em alguns momentos, basta que os fiscais virem as costas para os ambulantes voltarem.

Esta ação tem propósito de fazer cumprir o que determina a legislação: trazer organização. A intenção não é prejudicar o trabalho de nenhum ambulante. “Vamos continuar com esse trabalho, os fiscais vão permanecer no calçadão de forma rotineira, a fim de que os ambulantes possam compreender que existe possibilidade da atividade, porém dentro das regras estipuladas”, explica o diretor do Departamento de Posturas, Renê Inácio. Renê destaca que a ação está sendo positiva, bem aceita, tanto pelos comerciantes fixos quanto pelos ambulantes, “mas aqueles que não respeitarem terão as mercadorias apreendidas e autuação”, afirma Renê.

Porém, vale ressaltar – e muitos transeuntes e comerciantes já puderam perceber – que, assim que os fiscais encerram as atividades, ou no período do almoço, muitos ambulantes esperam a brecha para voltar ao calçadão. Sobre essa questão, Renê explica que é inevitável e acontece em qualquer setor, como no trânsito, em que muitos motoristas cumprem as normas quando perto de agentes ou de radares, e, longe, voltam a cometer irregularidades; e no calçadão não é diferente.  “Estamos promovendo esse trabalho com ambulantes de forma harmônica, para que se torne algo inerente à cidade”, finaliza Renê.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia