JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 18 de maio de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ALTERNATIVA

Continua depois da publicidade



ACIU propõe liberação de eventos, com protocolos rígidos

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

11/01/2022 - 19:49:31. - Por Lídia Prata

XÔ HISTERIA!
“Parece que estamos numa época em que paramos de pensar e analisar os fatos, devido ao medo provocado em todos nós. Nosso contexto atual é totalmente diferente do que foi no ano passado!! Já manifestei em outra oportunidade e repito: NÃO é uma evidência marcante o risco de morte nessa nova variante (ômicron), NÃO há saturação do sistema de leitos hospitalares”. Advertência é do médico Carlos Henrique de Pádua, timoneiro da AMO, uma das clínicas de saúde mais prestigiadas da cidade e onde ele tem feito testes de Covid diariamente desde o início da pandemia, em 2020. Com procura acentuada nesta época, Carlos Henrique de Pádua ressalta que é preciso trabalhar para diminuir um pouco a histeria da população. Veja: “Alguém precisa dizer que está tudo bem e que vai passar. Solicitar que cada um continue fazendo sua parte na utilização das medidas de proteção”.

CALMA, PESSOAL!
Segundo o médico Carlos Henrique de Pádua, “é inevitável que um grande número de pessoas se contaminem” nessa nova fase da pandemia. Aliás, ele avalia que nós teríamos que ter pensado em conter a ômicron antes das festas e viagens de fim de ano. E diz: “agora, uma vez que a ômicron está circulando em nossa comunidade, vai se comportar como qualquer pandemia!! Tem seu curso natural e a ômicron vai favorecer muito o seu término também. Ninguém faz barragem para conter tsunami!! A vacina não impede a transmissão da nova variante, mas já oferece uma imunização cruzada, que ajuda a abrandar os sintomas e diminuir o tempo de adoecimento. É recomendável apenas proteger pessoas com múltiplas comorbidades, imunossuprimidas, ou seja, com a saúde muito debilitada!!”

SINAL DE ALERTA
Ainda de acordo com o especialista em medicina do trabalho e estudioso sobre Covid, “a única questão que me preocupa de fato é a econômica, pois pela escalada de transmissão dessa variante pode gerar absenteísmos perigosos à manutenção da operação das empresas. Portanto, medidas para impedir a transmissão dentro da própria empresa estão recomendadas”. Carlos Henrique de Pádua alerta para a necessidade de adoção de novo protocolo de isolamento/afastamento de colaboradores nas empresas, com variações de 5 até 10 dias, conforme cada caso, como uma das estratégias de gestão desse absenteísmo. Ele avalia que “nenhuma empresa suporta mais parar suas atividades, seja por decretos emitidos ou por absenteísmo descontrolado, ainda mais que o poder público já deixou de ajudar nessas interrupções há muito tempo”. Pois é.


INFORMAÇÃO É TUDO
Nada como ter informação de qualidade para combater as fake news que pipocam por aí nesta quarta onda de Covid. Ouvida pela Rádio JM nesta terça-feira, a infectologista Cristina Barata explicou que a variante ômicron interrompe mais cedo o período de transmissão. Ou seja, ela perde força rapidamente. Embora ela acredite que a repercussão das aglomerações de Natal e réveillon vá se estender até o início de fevereiro, Cristina Barata explica que a tendência é aumentar o número de casos até lá, mas com menos tempo de isolamento. Se tivermos juízo e não voltarmos a abusar no carnaval, poderemos nos livrar dessa nova onda da pandemia rapidamente.

RECORDE
Em que pese Uberaba estar testando apenas os pacientes com sintomas respiratórios, o boletim Covid desta terça-feira registrou 796 casos novos confirmados em 24 horas, saltando o número de casos ativos para 4.439. Esse número pode ser infinitamente maior, pois os pacientes assintomáticos não estão sendo testados.

TESTAGEM EFICIENTE
A propósito, a infectologista Cristina Barata defende mudança no nosso comportamento de testagem, destacando a necessidade de testar também os assintomáticos. Somente desta forma será possível isolar os contaminados e interromper a escalada de transmissão do vírus. Mas, neste caso, o teste indicado é o PCR, que inclusive consegue detectar a Covid no 2º ou 3º de contaminação, justamente o período em que a variante ômicron age mais no contágio a terceiros. Cristina ainda ressalta que isolar apenas os sintomáticos não será suficiente para conter a ômicron. O problema é o alto custo do teste PCR.

SISTEMA HOSPITALAR
Pouca alteração na ocupação de leitos hospitalares em Uberaba, de segunda para terça-feira. Na rede pública há 6 pacientes ocupando leitos de UTI, restando 46 leitos desocupados. Na enfermaria são 23 pacientes internados, restando 64 leitos disponíveis. Na rede privada, 7 dos 35 leitos de UTI estão ocupados com pacientes Covid, e 5 dos 18 leitos de enfermaria idem. Situação absolutamente sob controle.

REAÇÃO DA ACIU
Associação Comercial, Industrial e de Serviços divulgou manifestou nesta terça-feira seu apoio ao setor de eventos, sacrificado mais uma vez pelas medidas restritivas impostas pelo governo municipal apra enfrentamento à pandemia. No manifesto, o presidente Anderson Cadima destaca que a Aciu “entende a gravidade do aumento de casos e a complexidade que essas decisões envolvem, quando se trata do equilíbrio entre a preservação da vida e a preservação dos CNPJ’s. Porém, esta instituição, que prima pelo desenvolvimento da cidade e a sobrevivência do empresariado local, não poderia deixar de expor seu posicionamento mediante as medidas adotadas, principalmente pela proibição da realização de eventos pelos próximos 10 dias”.

POR QUE NÃO?
No manifesto, a Aciu destaca que o setor de eventos ainda vinha de se recuperando de um longo período de proibição de atividades e agora volta a ser penalizado. Defende, por outro lado, que o município reveja a posição estampada no decreto de segunda-feira, e adote medidas que possibilitem a realização de eventos na cidade.
No início da noite, falei com a prefeita Elisa, que me garantiu ser contra a suspensão dos eventos. Mas seguiu a orientação do Comitê Covid, por razões de ordem técnica.

PROTOCOLO VIÁVEL
Voltando às medidas propostas pela ACIU para a retomada imediata dos eventos constam, expressamente, a exigência do uso de máscara por todos os participantes, assim como restrição de público de acordo com a capacidade do local, distanciamento entre os convidados, exigência da apresentação do cartão de vacinas e de teste de Covid dos convidados com menos de 48 horas. Propõe, também, o cadastramento dos convidados e dos profissionais que trabalharem nos eventos para eventual rastreamento futuro em caso de contaminação. Aliás, para o funcionamento dos bares e restaurantes da cidade, onde as aglomerações andavam constantes, o Decreto impôs bem menos restrições. E, cá pra nós, não dá para colocar no mesmo nível de risco de contaminação uma festinha de aniversário de criança, com 50/80 convidados, e um show com mil pessoas. Pelo menos essa distinção deveria ter sido feita no decreto de segunda-feira.

VIZINHANÇA TRANQUILA
Em Uberlândia, onde a testagem da população não acompanha o ritmo frenético de Uberaba, o boletim Covid divulgado nesta terça-feira registra 310 novos casos confirmados em 24 horas. A taxa de ocupação de leitos UTI Covid se mantém em 6%, com 14 pacientes, e outros 57 em enfermaria, somando redes pública e privada. Por conta desses números, o prefeito Odelmo não pretende editar decreto restringindo as atividades na cidade vizinha. No máximo, ele vai publicar recomendações e reforçar orientações à população.

PRA PENSAR
Aproximadamente 500 trabalhadores foram dispensados esta semana pela Móveis Bartira, de São Caetano, uma das maiores fábricas de móveis populares do Brasil e muito vendidos nas Casas Bahia. A empresa contava com aproximadamente 800 trabalhadores e operava em dois turnos, agora reduzidos a apenas um turno.
 


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia