JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 10 de abril de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Depois da confusão da vacinação, secretária-adjunta de Saúde deixa cargo

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

29/03/2021 - 22:14:14. Última atualização: 30/03/2021 - 18:30:17.

Em primeira mão: a secretária adjunta de Saúde, médica Fabiana Prado dos Santos Nogueira, entregou o cargo nesta terça-feira.  O pedido de exoneração foi aceito pela prefeita Elisa. A sobrecarga de trabalho foi a justificativa por ela apresentada, uma vez que a Fabiana é conselheira  do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRMMG) e delegada Regional em Uberaba.

Nos bastidores, porém, consta que a gota d´água teria sido a confusão na vacinação dos idosos na faixa de 65 a 69 anos, em Uberaba. A ordem para essa vacinação às pressas teria partido de uma subalterna, sem seu aval, o que gerou grande insatisfação na secretária adjunta. 

É uma pena que Fabiana Prado deixe o cargo nesse momento tão delicado da pandemia, uma vez que vinha fazendo um trabalho muito bom no comando da campanha de vacinação contra Covid. Sem contar que nos próximos dias Uberaba terá de encarar, também, uma campanha de vacinação contra a Influenza.

SECRETÁRIO DE SAÚDE FICA NO CARGO

“Nunca joguei a toalha” - garantiu o secretário Sétimo Bóscolo Neto agora à noite à coluna Alternativa. Mais cedo, porém, sua saída do comando da Secretaria de Saúde foi dada como certa. 

Em entrevista exclusiva a esta coluna,  o secretário Sétimo Bóscolo Neto avaliou que “o desafio é muito grande”. No entanto, garantiu: “só saio se a prefeita me mandar embora”. 

Em que pese a trapalhada da turma da secretaria com a vacinação nesta segunda-feira, o secretário Sétimo Bóscolo é um timoneiro que inspira confiança e tem demonstrado uma enorme dedicação à saúde pública. Sua presença no comando deste “barco” é fundamental nesse momento, sobretudo pelo desafio do enfrentamento à pandemia. 

QUE DIA!!!!!

A segunda-feira de muita confusão com a vacinação de idosos em Uberaba. Por incrível que pareça, o cronograma oficial informava que a segunda-feira seria destinada à imunização de pessoas com 72 anos. No entanto, por volta do meio dia começaram a circular nas redes sociais informações dando conta de que no drive da ABCZ estavam sendo vacinados idosos com 65 anos e mais. Questionada, a Prefeitura argumentou que era fake news. Mas as pessoas com 65 anos e mais foram vacinadas, sim, no drive da ABCZ. E não foram poucas.

QUE CONFUSÃO!!!

O ex-prefeito Paulo Piau, de 67 anos, foi um dos que receberam a informação por mensagem de celular, dando conta de que poderia se vacinar nesta segunda-feira. Ele e a esposa Heloisa se deslocaram para lá e receberam a dose da vacina Astra Zeneca. Outras pessoas também o foram. E confiaram que a informação estava correta. 

Mas não foi só: na ABCZ, muitos idosos de 72 anos foram dispensados da vacinação, ainda na fila, ao argumento de que ali somente seriam imunizados os de 65 anos. E ainda correu a explicação de que a Prefeitura não havia tido tempo para divulgar a mudança no cronograma. Esse desencontro de informações gerou uma enorme confusão, revolta e desconfiança. Por que uns foram avisados e outros não? Esta pergunta foi recorrente durante todo o dia. 

ORDEM DE QUEM?

Nem o vice-prefeito Professor Moacyr Lopes, nem a Secretária de Comunicação, professora Celi Camargo, foram informados de que os idosos de 65 anos seriam vacinados para aproveitar as doses de Astra Zeneca que estavam perto de vencer. Mais à tarde, a Prefeitura divulgou que houve um erro de comunicação e confirmou que foram de fato vacinados os idosos na faixa de 65 a 69 anos. Segundo nota oficial da Prefeitura, “partiu de uma servidora da referência Técnica em Imunização a orientação às enfermeiras responsáveis pelos drives para vacinarem idosos com mais de 65 anos que estivessem acompanhando os de 72 anos, público-alvo da vacinação desta segunda-feira. Esta orientação não passou pela Comissão de Vacina e nem sequer fora comunicada à SeCom para divulgação, como é de praxe”.

O problema é que a vacinação não foi feita em idosos de 65 a 69 anos que estavam acompanhando outros de 72 anos. Pelo contrário. Foram comunicados...

NO FIM

Ainda a respeito dessa confusão envolvendo a vacinação de idosos de 65 a 69 anos, a nota oficial da Prefeitura confirma que as mil doses da Astra Zeneca utilizadas estavam com prazo de validade no fim. Vencem dia 31/3. Mas nega que foram chamados os idosos de 65 a 69 às pressas para evitar a perda das doses, já que estão sendo vacinadas em torno de 1.600 pessoas por dia. Cá pra nós: esse é o tipo de confusão que não pode acontecer, em hipótese alguma. A vacinação tem um comando e, no mínimo, deveria partir desse comando a determinação sobre o público a ser imunizado. E mais: não é possível que a Secretaria de Saúde só tenha visto agora que as vacinas estão próximas do vencimento. Cadê o controle dessas vacinas? Francamente! Espera-se que o episódio sirva para mostrar à Secretaria de Saúde a necessidade de implantar rotinas de trabalho com um mínimo de organização e respeito às hierarquias.

ÀS PRESSAS

Esta segunda-feira foi mesmo um dia muito confuso para a vacinação. De última hora os profissionais da Odontologia com mais de 44 anos foram convocados para receber a vacina. Tudo na maior correria…

VACINA JÁ

ACIU está deflagrando campanha para estimular as pessoas a se vacinarem contra a Covid. Presidente Anderson Cadima é o primeiro a conclamar os associados, na campanha intitulada “Eu vou vacinar”, lembrando que “vacina salva vidas”. 

SITUAÇÃO COMPLICADA  

O governador Romeu Zema usou as redes sociais nesta segunda-feira para dizer que a Covid cresce mais no território mineiro do que a capacidade de abertura de leitos. Segundo ele, as taxas de ocupação dos leitos de enfermaria e de UTIs no estado estão em 74,01% e 86,81%, respectivamente. No painel de controle da Secretaria de Estado de Saúde, o índice de demanda para vagas exclusivas COVID em UTI é ainda maior. A proporção é de 93,98%. São 2.806 unidades exclusivas para pacientes com coronavírus, das quais 2.637 estão ocupadas. Zema ainda frisou que Minas confirmou 1.733 mortes pela COVID-19 em uma semana, entre 23 e 29 de março. Números que fazem com que o estado tenha registrado recorde na média móvel de casos, 247 óbitos. Essa marca representa aumento de 22,9% com a média de uma semana atrás, no dia 23, quando foram 201 mortes.

FERIADÃO

Nesta terça-feira a Assembleia Legislativa vota projeto que antecipa feriados em Minas, emendando a Semana Santa na segunda-feira, terça e quarta-feira pós-Páscoa. Vai apenas referendar o que já está combinado com o governador Zema. O próprio Zema postou no Twitter essa antecipação de feriados para “ampliar as medidas de isolamento, a fim de reduzir os índices de contágio.” No caso, serão antecipados os feriados estaduais de 21 de abril deste ano e dos dois próximos anos.  

NÃO RESOLVE

Particularmente acho essas antecipações de feriado uma tremenda perda de tempo. Isso não resolve absolutamente nada. Pelo contrário: cria oportunidade para as pessoas se mandarem para ranchos, chácaras, praias, enquanto a economia das cidades mineiras rola ladeira abaixo.  Veja o carnaval, emendado com ponto facultativo e feriado do aniversário da cidade. Depois desse feriadão os números de infectados e óbitos dispararam em Uberaba.

CONTRAPRODUCENTE

Lockdown total pode até ser eficaz na contenção do coronavírus, mas os efeitos colaterais são gravíssimos. Opinião é do presidente da Unimed Uberaba, médico Wilson Adriano Borges. 

 

TRABALHO APROVADO

Luiz Henrique Borges foi reeleito presidente da Certrim  na assembleia virtual realizada nesta segunda-feira. Ele obteve 850 votos contra 46 dados à chapa adversária. Sem dúvida, esta foi uma demonstração evidente de aprovação dos cooperados ao trabalho realizado por Luiz Henrique e sua diretoria. 

NA BRONCA

Presidente da ABCZ divulgou agora à noite carta aberta aos produtores rurais se solidarizando com a classe e protestando contra propaganda totalmente infeliz da cerveja Heineken. Na carta, o presidente Rivaldo Machado Borges considera que os produtores foram afrontados pela campanha conduzida por profissionais que “desconhecem nossa cultura e o benefício da carne para a saúde humana.” Diz ainda: “Fomos expostos pela proliferação de números irreais sobre o efeito estufa em redes sociais, impulsionados por pessoas que desconhecem completamente a realidade das fazendas brasileiras, preocupadas com a preservação ambiental. É revoltante ver a falta de reconhecimento ao trabalho do campo e constatar a ilegalidade e a desinformação imperando no Brasil”. 

 

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia