JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 10 de abril de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Sem festa, aniversário de Uberaba terá distribuição de máscaras e álcool gel

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

25/02/2021 - 21:47:20. Última atualização: 25/02/2021 - 21:50:57.

A prefeita Elisa foi às redes sociais para responder àqueles que questionam por que o Município não usa a estrutura do Hospital São José para socorrer os pacientes com Covid. Segundo ela, para colocar o prédio em condições para atender à população seria necessário investimento da ordem de R$ 5 milhões, além de demandar tempo enorme para a obra física. Por isso, Elisa entende que se conseguisse viabilizar esses recursos, o ideal seria investir no Hospital Regional e contratar equipes de trabalho. “Criticar é sempre uma posição mais confortável. Mas é hora de unirmos forças para lutar pelo bem comum” - frisou a prefeita.

 

 

NADA DE FESTA

Aniversário de Uberaba não terá festa. Nem há motivos para comemoração, diante dos recordes de mortes por Covid na cidade. Na sua manifestação desta quinta-feira, a  prefeita enfatizou que a contaminação tem crescido exponencialmente, em especial entre jovens, o que é muito preocupante. Por isso, no dia 2 de março, a Prefeitura vai apenas distribuir máscaras, álcool gel e mudas para plantio nos bairros. Medida acertada.

AÇÃO CONJUNTA

Na fala de Elisa, o que chamou a atenção também foi o anúncio de que os municípios vizinhos vão marchar com Uberaba, na mesma toada, no enfrentamento à pandemia. Todos os 26 municípios que compõem a região do Triângulo Sul adotarão as mesmas medidas, agindo em conjunto, para evitar o estrangulamento da rede de saúde, como aconteceu no Triângulo Norte. Além disso, segundo Elisa, os prefeitos assumiram o compromisso de buscar em Uberaba os seus pacientes assim que eles saírem do risco de transmissibilidade. Dessa forma, os leitos serão disponibilizados para outros pacientes que deles precisarem. 

TUDO OU NADA

Em que pesem as críticas e até uma certa decepção popular com o novo decreto de enfrentamento à pandemia, o secretário municipal de Saúde, Sétimo Bóscolo Neto, avalia que “não é só a doença que mata. A fome também mata”. Foi assim que ele justificou aos ouvintes do programa O Pingo do Jota desta quinta-feira a opção por medidas menos restritivas do que se esperava para este que é o momento mais crítico da pandemia de coronavírus em Uberaba. Segundo ele,  “a  doença é muito grave e o maior fator de contaminação é a aglomeração. Por isso estamos tentando evitar o acúmulo de pessoas. Porém, é preciso destacar que vários estudos mostram que o lockdown total não traz benefício algum. A própria Organização Mundial de Saúde condena o lockdown, porque destrói a economia mundial e isso gera a fome e desencadeia outras doenças, que podem desaguar num caos. A prefeita tem essa visão ampla e busca sempre o equilíbrio entre impor restrições e  deixar a economia respirar um pouco”. 

TOQUE DE RECOLHER

Ainda de acordo com o secretário municipal de Saúde, todas as possibilidades de combate ao coronavírus foram discutidas por mais de 10 horas no Comitê Técnico, incluindo o toque de recolher. Mas a conclusão foi de que essa medida não seria  razoável neste momento. “Quanto mais se fecha, mais se dá espaço para a clandestinidade. E o nosso poder de vigilância não alcança tudo, pois estamos falando de uma cidade com 350 mil habitantes. Já fechamos várias festas clandestinas e aplicamos multas diversas. E aqui fica um apelo aos pais, para nos ajudarem, pois os jovens com idade a partir de 20 anos estão se contaminando mais agora” - ressaltou Sétimo Bóscolo.

ANÁLISE SEMANAL

O secretário de Saúde revelou, também, que as medidas restritivas estão sendo analisadas semanalmente pelo Comitê Covid e disse com todas as letras que não está descartada a adoção de novas restrições, inclusive o lockdown total, se for necessário. “Tudo pode acontecer” - enfatizou. Mas, na avaliação de Sétimo Bóscolo Neto, “tudo o que  está acontecendo hoje é fruto do desconhecimento da ciência sobre o que é eficiente no enfrentamento à pandemia”. Daí que os governos ficam batendo cabeça com medidas para tentar frear a explosão de casos, ora com uso de remédios como cloroquina, que depois se mostram ineficazes, ora com lockdown total. Ninguém sabe o que vai de fato funcionar... 

ANTES ASSIM

Para o presidente da Aciu, Anderson Cadima, se este decreto não é o melhor para todos, pelo menos não impôs o fechamento total das atividades produtivas por 15 dias. “Há um ano, no dia 20 de março, tivemos um decreto bem mais pesado que este. Para nós, a pior decisão seria o lockdown agora. Por isso, em parte o decreto novo contempla o setor produtivo, porque é preciso ter um equilíbrio muito grande entre a preservação da vida das pessoas e a das empresas” - destaca Cadima.

REVEZAMENTO COMO OPÇÃO

Uma das medidas sugeridas pelo líder empresarial para evitar o famigerado lockdown  é o rodízio do horário do comércio.  Posicionando-se favoravelmente à abertura do comércios aos sábados, o presidente Cadima sugere que seja adotado um revezamento de horários e dias de funcionamento, de acordo com o segmento de atividade das empresas, para evitar superlotação no transporte coletivo. “O grande problema têm sido os ônibus” - frisa o presidente da Aciu. 

ENTENDENDO A PROPOSTA

Sobre a proposta, o secretário Sétimo Bóscolo diz que o rodízio não funcionou anteriormente, porque as pessoas estão acostumadas à rotina daquela jornada tradicional. Mas, na verdade, o que foi tentado em janeiro foi a ampliação do horário de funcionamento do comércio, para que cada empresa definisse sua jornada livremente. Isso de fato não deu certo. Porém, o rodízio sugerido pelo presidente da Aciu é diferente: às segundas, quartas e sextas funcionariam setores como móveis e eletrodomésticos, imobiliárias, papelarias,  por exemplo. Nos outros dias, vestuário, calçados, acessórios, cosméticos, etc. Esse esquema seria fixado pela Prefeitura, valendo para todas as empresas dos respectivos setores. 

OPÇÃO DE TRANSPORTE

Para evitar as aglomerações nos ônibus nos horários de pico, leitor da coluna sugere que a prefeita Elisa negocie com os proprietários de vans o compartilhamento do transporte, nos horários de pico dos ônibus, praticando o mesmo preço da tarifa. Já que não está sendo possível colocar mais ônibus em comboio nas linhas que hoje registram maior aglomeração, as vans poderiam dividir a tarefa de transportar os trabalhadores nesses trajetos mais concorridos. Outra opção seria negociar com as empresas de táxi para ajudarem nesses horários e trajetos, como se vê em Belo Horizonte, na avenida do Contorno.

UM POR TODOS

Presidente Ismar Marão avalia que esse embate com a prefeita Elisa sobre o novo decreto de enfrentamento à pandemia serviu pelo menos para aproximar os vereadores, que agora estão empenhados numa ação conjunta. Em entrevista à Rádio JM nesta quinta-feira, Marão revelou que já existe uma disposição de grande parte dos vereadores de dar as mãos à prefeita na implementação de ações de combate ao coronavírus, mas não descartou a possibilidade de uma ação independente do Legislativo, caso os vereadores não sejam ouvidos. A propósito, a prefeita prometeu se reunir semanalmente com os legisladores para discutir com eles as principais demandas de cada um. Tomara que esse diálogo seja produtivo e não apenas apelativo!

COMO ASSIM?

Sexta-feira de aglomeração pipocando na cidade, graças às excursões para Caldas Novas, Balneário Camboriú e praias diversas. Os fretamentos de ônibus estão “bombando”, apesar da pandemia. E as pessoas aproveitam o feriadão prolongado, com o ponto facultativo de segunda-feira nas repartições públicas e o aniversário da cidade, na terça, para as excursões em grupo. E tem mais: nesta sexta-feira há outros vários fretamentos de ônibus, todos lotados de passageiros...O coronavírus deve estar adorando essa história!

BOA NOTÍCIA

Unimed está investindo pesado na modernização do Hospital São Domingos. As ampliações de leitos continuam. O Centro de Terapia Intensiva, por exemplo, compreende a UTI Adulto, a UTI Adulto Isolamento para pacientes com Coronavírus e a UTI Neonatal/pediátrica (com ambientes seguros e distintos para pacientes dentro e fora do isolamento). Ao todo são 45 leitos. Os demais blocos contam com enfermarias e apartamentos para o atendimento. Uma capacidade total para 100 leitos. Além das ampliações, reformas e melhorias, o Hospital Unimed São Domingos tem hoje uma estrutura com equipamentos de última geração, profissionais de saúde capacitados e um corpo clínico com mais de 500 médicos de diversas especialidades, prontos para o atendimento à população. Somente na UTI Adulto para tratamento do Coronavírus trabalham mais de 100 pessoas, dia e noite, além de infectologistas, intensivistas e outros médicos e médicas dedicados a restaurar a saúde. Estive lá esta semana e fiquei encantada com o que vi. O HSD é outro hospital, a partir da gestão da Unimed.

MAIS VACINAS

Uberaba vai receber 2.100 doses da Coronavac e 3.530 doses da AstraZeneca. Confirmação do quantitativo foi feita pelo deputado Heli Grilo nesta quinta-feira. Agora nos resta esperar que o Estado entregue logo essas vacinas para o município começar a imunizar mais pessoas. Espera-se que o ponto facultativo de segunda-feira e o feriado de terça não inviabilizem a continuidade da aplicação das vacinas aos idosos... Essa demora poderá nos custar muitas vidas.

Que peleja, credo! 


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia