JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 19 de setembro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Cuidado ao descartar documentos e embalagens de compras online; seus dados podem estar em risco

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

03/08/2021 - 00:00:00. - Por Rafaella Massa

O descarte incorreto de correspondências e embalagens com dados pessoais pode causar muito prejuízo ao consumidor. Deixar os dados disponíveis e a mercê de serem revirados, mesmo que no lixo, pode abrir espaço para cadastros irregulares e fraudulentos, falsificação de documentos e entre diversos outros problemas.

Quem reforça a necessidade de um descarte adequado é o chefe do Departamento de Pesquisa, Projetos e Convênios do Procon de Uberaba, Italo De Oliveira Gonçalves. Segundo Ítalo, a maioria destas contas possuem dados pessoais, por isso, merecem atenção redobrada. “A gente não percebe [os dados] e acaba descartando. Quando esses dados caem no lixo, a gente não sabe o destino, quem pode pegar, correndo o risco de uma pessoa mal-intencionada fazer um cadastro fraudulento, clonar um cartão de crédito, falsificar documentos, obter empréstimos ilegalmente, abrir conta em bancos virtuais. E com isso gerar sérios problemas para o consumidor”, afirma.

Ítalo também reforça o cuidado necessário na internet ao entrar em sites que não são confiáveis e principalmente nos cadastros de dados. “As pessoas cadastram sem saber a procedência, eles podem hackear, clonar seus dados e a partir daí fazer o que a gente menos imagina, causando vários transtornos para o consumidor”, explica.

Em relação às contas e embalagens que possam carregar dados do consumidor, o orientado é picotar ou rasgar antes do descarte. "Não aconselho a queimar porque polui o meio ambiente, algumas pessoas costumam queimar, mas picotar, rasgar ou triturar o documento é o recomendável, independente se a conta for de hoje ou de quatro anos atrás, pode conter informações preciosas, que se cair na mão de criminosos pode ocorrer um grande risco de essas informações serem vazadas”, aconselha Italo.

Se, mesmo após todos os cuidados necessários, ocorrer uma situação em que dados foram clonados ou utilizados de forma fraudulenta o indicado é, primeiramente, conferir em qual empresa que foi realizado o cadastro e entrar em contato, para que seja contestado o contrato, trabalho ou serviço. “Se caso não conseguir, é cabível entrar com um processo de danos morais, porque é responsabilidade das empresas verificarem a autenticidade do documento. Pelo Procon é possível fazer um atendimento preliminar para contestar esses contratos, declará-los nulos. Se tiver alguma cobrança indevida a gente pede para descontar, se tiver alguma dívida a gente pede para desconsiderar e o consumidor ainda pode entrar no judiciário com um processo de danos morais”, finaliza.


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia