JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 12 de agosto de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Pesquisa aponta que gás carbônico na atmosfera chegará aos níveis de 15 milhões de anos atrás

13/07/2020 - 07:46:28.

Até 2025, os níveis de CO2 na atmosfera da Terra serão mais altos do que em qualquer momento nos últimos 3,3 milhões de anos (Foto: Roslan Rahman / AFP)

Artigo publicado na revista “Nature Scientific Reports” por cinco pesquisadores da Universidade de Southampton, na Inglaterra, evidencia que a quantidade de dióxidos de carbono na atmosfera chegará em 2025 a nível nunca visto antes de 15 milhões de anos. Hoje, a concentração de CO2 sobe 2,5 partes por milhão (ppm) a cada 12 meses. Assim, hoje há concentração de 415 ppm, se aproximando da temperatura no período Plioceno, há 3,3 milhões de anos, quando a concentração era de 380 a 420 ppm. Na época, o planeta estava de 3ºC a 4ºC mais quente e os níveis do mar eram 20m mais altos. As estimativas apontam que em 2025, a concentração de dióxido de carbono passará de 425 ppm.

Gavin Foster, um dos pesquisadores, diz que "a razão pela qual ainda não vemos temperaturas e níveis do mar semelhantes ao Plioceno hoje é porque leva um tempo para o clima da Terra se equilibrar totalmente aos níveis de CO2 e, devido às emissões humanas, os níveis de CO2 ainda estão subindo".

Continua depois da publicidade

Para descobrir a concentração de dióxido de carbono no passado, os pesquisadores analisaram a composição química de fósseis minúsculos, do tamanho de uma cabeça de alfinete, coletados em sedimentos no fundo do mar do Caribe. Os dados coletados foram usados para reconstruir a concentração de CO2 na atmosfera da Terra durante o período do Plioceno.

Elwyn de la Vega, outro cientista envolvido no estudo, afirmou que, a partir dos resultados, "tendo ultrapassado os níveis de CO2 do Plioceno até 2025, é provável que não haja experiência em níveis futuros de CO2 na Terra nos últimos 15 milhões de anos, desde o Mioceno Médio do Clima Ideal, um período de calor ainda maior que o Plioceno".

Ainda segundo os autores, a investigação do passado foi um importante guia do que provavelmente acontecerá no futuro, dado o acúmulo pela Terra, nos últimos dois séculos, de gases que provocam o efeito estufa.

*Com informações do jornal O Tempo

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia