JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 06 de julho de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Viagem pós-pandemia: o que considerar para reservar um hotel

Cidades turísticas começaram a reabrir para visitantes, porém existem cuidados a serem tomados antes de se hospedar em algum destino

29/06/2020 - 07:37:38. - Por Gisele Barcelos Última atualização: 29/06/2020 - 15:22:43.

Os primeiros destinos turísticos no Brasil já começaram a anunciar uma retomada tímida a partir deste mês e, depois de mais de 90 dias de quarentena em casa, há quem comece a cogitar a possibilidade de se aventurar no segundo semestre pelo país.

Entretanto, mesmo quem pensa em viajar, tem dúvidas sobre os cuidados a serem tomados na hora da escolha da acomodação diante do risco do coronavírus.

A hospedagem virou um quesito de segurança em uma viagem. Por isso, não é momento de querer economizar e apenas escolher o hotel que for mais barato, sem levar em conta a questão sanitária.

O principal é analisar que políticas de prevenção foram adotadas pelo hotel que retomou as atividades no destino de viagem escolhido. As maiores redes hoteleiras já divulgaram em seus sites e redes sociais as políticas de prevenção da Covid-19 que vêm adotando desde o início da pandemia.

Leia atentamente tudo o que está sendo feito pelo hotel em que você deseja se hospedar e julgue se, dentro dos seus critérios, as medidas são suficientes.
Em caso de pousadas e hotéis menores, é possível que você não encontre estas informações tão facilmente. Então, não hesite em ligar para as hospedagens para tirar suas dúvidas.

Para decidir se um hotel é seguro ou não, verifique qual a capacidade que o estabelecimento está operando e se está ocorrendo o rodízio de quartos para evitar que uma acomodação seja ocupada logo após outro hóspede ter saído. Alguns hotéis estão operado apenas com metade da lotação e deixando quartos vagos pelo menos dois dias entre uma reserva e outra.

Além disso, é importante questionar quais áreas compartilhadas estão abertas (piscinas, academia, spa), se o uso de máscaras nas áreas comuns é obrigatório, como está sendo feito o check-in e também como e onde será servido o café da manhã. Evite locais com sistema de buffet, no qual todos os hóspedes encostam em pegadores, por exemplo.

Mais um cuidado é avaliar se os quartos tem janelas para facilitar a ventilação e se as áreas comuns são amplas e permitem que você se desloque com distanciamento social. Também verifique se o hotel tem áreas ao ar livre.

Outra questão importante são as condições climáticas do destino no período de estadia. Com tempo chuvoso, são maiores as chances de você e também outros turistas buscarem atividades em lugares fechados, com possíveis aglomerações.

Faça reservas canceláveis

Apesar de todos os cuidados, enquanto não enxergarmos uma luz no fim do túnel, é recomendado que se faça reservas canceláveis até próximo à data da viagem. É verdade que essa opção custará mais caro, porém, repito, este não é o momento de simplesmente escolher o mais barato. Infelizmente, a situação pode piorar e não se descarta nem mesmo uma segunda onda de contágios em locais que já estão em processo de reabertura.

Aliás, se você chegar ao hotel reservado e não se sentir confortável, mesmo avaliando todos os critérios antes da reserva, não hesite em trocar de hospedagem.

Responsabilidade compartilhada entre hotéis e hóspedes
Antes de reservar uma hospedagem é bom que você esteja ciente de que a segurança é uma responsabilidade compartilhada entre os estabelecimentos e os hóspedes.

O que você pode fazer para tornar a estadia mais segura para você, funcionários do hotel e outros hóspedes? Usar máscara sempre que deixar o quarto, lavar as mãos com frequência, utilizar o álcool gel antes de tocar em objetos ou superfícies de alto contato e praticar o distanciamento social, não chegando muito próximo de outras pessoas ou não entrando em elevadores já ocupados.

Para se sentir ainda mais confiante, convém levar lenços e álcool em gel para higienizar por conta objetos e superfícies dentro do quarto, como por exemplo controle remoto, maçanetas e interruptores de luz. A ideia é que os hotéis estejam reforçando a higiene nestas áreas, mas, né? Não custa garantir. Em tempos de coronavírus, ninguém estará pecando pelo excesso de cuidado.

*Gisele Barcelos é uma jornalista viajante, apaixonada por pesquisar novos destinos e montar roteiros para aventuras pelo mundo afora. Além do conteúdo para o portal do Jornal da Manhã, é autora do blog Checklist Mundo e do instagram Checklist Mundo, onde compartilha dicas para ajudar todo mundo a viajar mais e melhor.

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia