JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 15 de julho de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Jovem é resgatado no Alasca após passar três semanas em deserto de gelo

Cabana onde o americano morava pegou fogo; ele conseguiu escapar, mas teve que esperar ser localizado

14/01/2020 - 00:00:00.

Foto/Reprodução

Um americano de 30 anos foi resgatado depois de sobreviver por mais de três semanas em um deserto de gelo no Alasca, a mais de 30 quilômetros da cidade mais próxima. Resgate aconteceu na semana passada. Os parentes dele haviam acionado as autoridades, que deram início às buscas.

Nascido no estado de Utah, Tyson Steele chegou inclusive a escrever SOS na neve para chamar a atenção das equipes de resgate.

Havia quatro meses morava em uma cabana que acabou destruída por um incêndio acidental no fim de dezembro. Ele, então, improvisou uma barraca simples com os destroços e passou a se alimentar de enlatados que resistiram ao fogo, segundo reportagem da BBC.

Em entrevista à polícia, Steele afirmou que o incêndio começou após colocar um pedaço de papelão no fogão a lenha, um "erro bastante precipitado" — em suas palavras.

"Tive fogões a lenha toda a minha vida. Eu sabia que não se faz isso. Então, provocou uma faísca pela chaminé que chegou ao telhado", disse ele, que não soube especificar a data da ocorrência. Acredita que tenha sido antes do Natal, na noite de 17 ou 18 de dezembro.

Quando o incêndio começou, ele ainda estava dormindo. Acordou com gotas de plástico derretido caindo pelo telhado em meio à fumaça. De imediato, correu para o lado de fora da cabana, vestido com suas botas e um suéter. Levou ainda cobertores e seu rifle, mas não conseguiu salvar seu cachorro, Phill.

Chegou a pensar que o labrador havia escapado do incêndio até ouvir os latidos do animal dentro da cabana já tomada pelo fogo. "Não tenho palavras para a dor; foi apenas um grito. Parecia que eu havia rasgado meu pulmão", disse.

O fogo se propagou ainda mais rapidamente porque havia no local centenas de cartuchos de munição e um tanque de propano. Após sua moradia ser reduzida a cinzas, ele buscou as latas de comida que restaram — muitas delas com gosto de plástico queimado, segundo relatou Steele.

Pouco mais de três semanas do incêndio, Steele foi salvo pela polícia de Alaska. Seu primeiro desejo foi voltar para Utah e reencontrar sua família. "Eles têm um cachorro e isso seria uma terapia pra mim", concluiu.

*Com informações ÉPOCA 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia