JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de novembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Mudanças na legislação favorecem motofretistas

Profissionais não precisam mais apresentar Certificado de Segurança Veicular para colocar o baú de carga. Mais de 5,5 milhões de pessoas usam a moto como instrumento de trabalho

Última atualização: 24/09/2017 - 12:06:35.

Foto/Reprodução/Agência Brasil


Mais de 5,5 milhões de pessoas usam a moto como instrumento de trabalho

A mudança nas exigências para o motofrete facilitou o trabalho dos condutores. Em julho, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) dispensou os profissionais de apresentarem o Certificado de Segurança Veicular (CSV) para colocar ou retirar baús para cargas em motocicletas de transporte remunerado, os motofretes.

Para o presidente da Federação Nacional dos Mototaxistas (Fenamoto), Raimundo Nonato Alves, a medida beneficia os motoristas. "Ficou melhor porque agora eles não são obrigados mais a comprar a moto por essa regra. Agora em qualquer moto pode ser colocado o baú, isso melhora qualidade de vida", ponderou.

Entretanto, motos que fazem transporte remunerado de mercadorias somente podem circular com autorização dos órgãos de trânsito estaduais. Permanece obrigatória a inspeção semestral para verificação dos equipamentos obrigatórios e de segurança regulamentada pelos Detrans.

Customização. A nova regra ainda trouxe mais novidades ao flexibilizar a customização das motos. Na nova norma, foram também definidas as alterações permitidas para a customização de motos, autorizando o cidadão a realizar alterações nos espelhos retrovisores, guidão, componentes do sistema de suspensão e no assento, desde que atenda às observações da portaria. Neste caso, é exigido apresentação do CSV.

Foi permitida alteração no chassi (alongamento, encurtamento, mudança de geometria e alteração nos pontos de solda) para motos, sem aumento da capacidade de ocupantes e cumprindo a exigência do Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito (CAT).

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério das Cidades
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia