JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 31 de março de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Matrículas em cursos superiores públicos cresce, mas em rede privada de ensino cai após em 25 anos

Última atualização: 01/09/2017 - 09:03:33.

Matrículas em cursos de graduação públicos tiveram aumento de 1,9% em 2016, em relação ao ano anterior, indica o Censo da Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), apresentado nesta quinta-feira (31). O movimento da rede privada foi oposto, registrando a primeira queda no número de alunos em 25 anos, de 0,3%.

A rede federal é o maior sistema público, com participação de 62,8% e com mais de 1,2 milhão de alunos, registrando o maior crescimento entre todas as redes no período de 2015 a 2016, de 2,9%. A rede estadual ocupa 31,3% das matrículas de 2016, enquanto a rede municipal representa 5,9%.

Na avaliação do ministro da Educação, Mendonça Filho, a melhora da infraestrutura das universidades e instituições de ensino públicas foi fundamental para esse aumento no número de matrículas. Em 2016, foram ofertadas mais de 10,6 milhões de vagas em cursos de graduação, sendo 73,8% vagas novas e 26%, vagas remanescentes.

Vagas. Em 2016, 34.366 cursos de graduação foram ofertados em 2.407 instituições de educação superior (IES) no Brasil, para 8.052.254 estudantes matriculados. Segundo as estatísticas apresentadas, as 197 universidades existentes no País equivalem a 8,2% do total de IES, mas concentram 53,7% das matrículas em cursos de graduação.

No ano passado, o número de matrículas na educação superior (graduação e sequencial) continuou crescendo, mas essa tendência desacelerou, se comparada aos últimos anos.

Os cursos de bacharelado mantêm sua predominância na educação superior brasileira, com 69% das matrículas. Os cursos de licenciatura tiveram o maior crescimento (3,3%) entre os graus acadêmicos em 2016, quando comparados a 2015.

Alunos. Em 2016, quase 3 milhões de alunos ingressaram em cursos de educação superior de graduação. Desse total, 82,3% em instituições privadas. Após uma queda observada em 2015, o número de ingressantes teve um crescimento de 2,2% em 2016. Isso ocorreu porque a modalidade a distância aumentou mais de 20% entre os dois anos, enquanto nos cursos presenciais houve um decréscimo de 3,7% no número de ingressantes.

Ano passado, mais de um 1,1 milhão de estudantes concluíram a educação superior. O número de concluintes em cursos de graduação presencial teve aumento de 2,4% em relação a 2015. A modalidade a distância diminuiu 1,3% no mesmo período. Entre 2015 e 2016, o número de concluintes na rede pública aumentou 2,9%. Já na rede privada, a variação positiva foi de 1,4%.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Educação (MEC)

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia