JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Consumidor está mais confiante e eleva índice segundo pesquisa

A pesquisa revelou também melhora na intenção de compras de bens duráveis, pelo quinto mês seguido, atingindo o maior nível desde março do ano passado

- Por David Tschaikowsky Última atualização: 28/10/2016 - 07:29:24.

Arquivo


Para Marcelo Árabe, a mudança no quadro político gerou a confiança do consumidor

 

Fundação Getulio Vargas (FGV) divulga dados que apontam a sexta alta consecutiva no Índice de Confiança do Consumidor, atingindo 82,4 pontos e perfazendo assim o maior nível desde dezembro de 2014, quando registrou 86,6 pontos.

Entre setembro e outubro, o indicador subiu 1,8 ponto. Na comparação do mesmo período do ano passado, a alta registrada foi de 15,8 pontos. A pesquisa revelou, também, melhora na intenção de compras de bens duráveis, pelo quinto mês seguido. Com isso, atingiu o maior nível desde março do ano passado, 77,9 pontos.

Para o presidente do Sindicomércio Uberaba, Marcelo Árabe, a mudança no quadro político gerou a confiança do consumidor. “O empresário hoje está mais otimista, vendo uma luz no fim do túnel. Terá aumento nas contratações temporárias para o Natal, que podem se efetivar depois com as vendas de fim de ano. Todos estão mais animados, investindo nos seus estabelecimentos, com promoções na parte visual e dando preferência para funcionários que saibam atender bem e assim fidelizar o cliente”, enfatiza Marcelo.

Ainda segundo o presidente do Sindicomércio, existe uma preocupação muito grande com o comércio do centro de Uberaba. “É o cartão de visita de qualquer cidade. São muitas empresas tradicionais instaladas há muitos anos lutando para manter seus negócios. A grande presença de ambulantes não formalizados é uma ação desigual com aqueles que pagam seus impostos. Isso nós não podemos deixar permanecer. Perdemos, também, vagas de estacionamentos e ainda é precária a segurança. Então, temos que unir as classes e buscar ações que trarão benefícios ao comerciante do centro da cidade”, esclarece o representante classista.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia