JM Online

Jornal da Manhã 50 anos

Uberaba, 10 de agosto de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Continua depois da publicidade



Cães doadores de sangue são homenageados em Uberaba

Entre os animais, três do Corpo de Bombeiros, que trabalharam em Brumadinho, receberão medalhas e certificados de honra

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

26/03/2019 - 00:00:00.

O Hospital Veterinário de Uberaba (HVU) prestará, uma homenagem a cães do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Penitenciária Professor Aloísio Inácio Oliveira, que são voluntários no HVU e auxiliam na doação de sangue. Na ocasião, os três cães de busca dos Bombeiros, que ajudaram a localizar vítimas da tragédia de Brumadinho (MG), também serão agraciados. Santa, da raça labrador, Agnes e Angel, da raça pastor belga de Malinois. A cerimônia será hoje (26), a partir das 10h, na sede do Hospital Veterinário.

“Nós vamos ter três ambulatórios, um para cada corporação: Polícia, Penitenciária e Corpo de Bombeiros. Vamos fazer avaliação clínica dos animais, coleta de sangue dos cães que estão indo para Brumadinho e outros cães que, por ventura, estiverem lá. Nós ganhamos vacinas e carrapaticidas para aplicar. Vamos doar vermífugo e fazer a microchipagem desses animais”, explica o gerente clínico do HVU, médico veterinário Cláudio Yudi.

Alunos do curso de Medicina Veterinária da Universidade de Uberaba (Uniube) vão participar do evento, auxiliando na contenção, vacinação e exame clínico. Ainda durante a ocasião, os animais vão receber medalhas e certificados, assim como o condutor. “Ao final, teremos um bolo de carne para os cães”, acrescenta Yudi. Ao todo, 29 cães devem participar da cerimônia.

Segundo o médico veterinário, a homenagem é uma forma de reconhecer a importância desses animais frente à sociedade. “Não é um trabalho em que há maus tratos, muito pelo contrário. Eles ganham recompensas, como carinho e atenção. Os cães gostam de atenção humana. Recebem vacina, alimentação de qualidade, assistência veterinária. Esse é o papel: lembrar da importância desses cães como animais de trabalho. No final, quando se aposentam, o próprio condutor tem a oportunidade de ficar com o animal. Então, a gente pode considerar que ele se tornará um cão de estimação no futuro.

Cuidado especial

Em relação aos cães dos Bombeiros, que trabalham em Brumadinho, Yudi esclarece que a lama tóxica de rejeitos da barragem que se rompeu pode afetar a saúde desses animais. Por isso, o HVU está fazendo um levantamento para saber se eles estão intoxicados por metais pesados, como chumbo, alumínio e mercúrio. “Durante o evento, nós vamos coletar o sangue desses cães para guardarmos e fazermos uma pesquisa aprofundada”, afirma.

Além da intoxicação, existem o risco também das doenças infecciosas. “Como eles estão em um local com água, exposto a um ambiente silvestre, porque é uma região de mata, pode, sim, ter doenças. Como, por exemplo, a Leishmaniose, que é uma doença que tem na região rural. Além de problemas de ectoparasitas, nesse caso, os carrapatos. Os militares já são treinados e habilitados. Qualquer problema com os cães eles trazem para o Hospital Veterinário para nós avaliarmos”, finaliza.

 

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia
Fechar