JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 22 de setembro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Lídia Prata ALTERNATIVA

Jogando pra galera
Não pode ser levado ao pé da letra o que disse o subsecretário de Assuntos Regionais, Marco Antônio Viana Leite, durante sua passagem meteórica por Uberaba, na quarta-feira. Segundo o representante do governo Pimentel, os repasses do Estado para os municípios foram liberados em dia na última semana. Para qual município, ninguém sabe, ninguém viu. Pelo menos em Uberaba esses recursos não chegaram, como garantiu o prefeito Paulo Piau, indignado com a leviandade das declarações do subsecretário. “A informação dele não é verdadeira nem nesta semana, nem com referência à última semana”, afirma o prefeito.

Conta-gotas
Segundo o secretário municipal de Finanças, Wellington Fontes, somente nesta semana o repasse do ICMS foi feito de acordo com a lei, mas os 20% destinados ao Fundeb só chegaram parcialmente. E os débitos atrasados, até agora, nem sinal de fumaça. “Se você é empresário e não recebe dos seus clientes, complica o seu fluxo de caixa. Na Prefeitura é mais difícil, pelo engessamento do orçamento público, que, se contrariado, já derrubou até a Dilma, pelas chamadas pedaladas”, ressalta Piau.

Dívida persistente
O governo Pimentel já deve a Uberaba cerca de 80 milhões de reais. Só para a Saúde, o Estado deixou de repassar R$48,5 milhões. Recursos do Fundeb totalizam outros R$24,5 milhões, sendo R$2 milhões de 2017 e R$22,5 mi de 2018, retidos do ICMS e IPVA para a Educação. Sem contar o transporte escolar, que Pimentel não paga, impondo mais esse ônus aos cofres do município de Uberaba. Neste caso, são outros R$47.880. E ainda tem o débito do piso mineiro de assistência social, correspondente a mais de meio milhão de reais até agora. Repasses do ICMS retidos por Pimentel já somam R$5,5 milhões. Números foram atualizados na quarta-feira (12).

Preto no branco
Ainda durante sua passagem por Uberaba, o subsecretário de Assuntos Regionais descartou qualquer perspectiva de solução da crise financeira do Estado em curto prazo, alegando que tudo depende de “resposta da União”. Porém, não abordou – nem superficialmente – a composição desses repasses que estariam atrasados.

Vai longe
O representante do governo Pimentel disse ainda que falta uma definição sobre a compensação prevista na Lei Kandir para equilibrar as finanças de Minas. Ora, isso virou um imbróglio jurídico, o que significa que não é direito líquido e certo do Estado compensar seus débitos com eventuais créditos com a União. Portanto, a crise continua sem solução, enquanto Pimentel vai empurrando o problema com a barriga. Eleitores menos informados acabam engolindo essa conversa mole...

Mais calote
A 3ª Vara de Feitos Tributários de Belo Horizonte concedeu liminar, na quarta-feira (12), à General Motors para reaver 323 carros vendidos para o Estado de Minas Gerais, após licitação pública de 2017, que não foram pagos pelo governo. Além dos veículos comprados da GM para uso do serviço público, no valor de cerca de R$24 milhões, o governo Pimentel adquiriu carros da Toyota e da Mercedes-Benz para serem usados como ambulâncias e carros de polícia. O governo estadual recebeu os veículos, usou as imagens deles na propaganda eleitoral da reeleição do governador Pimentel, mas não pagou às montadoras. Que tal? O Estado pode recorrer.

Como fica?
Insustentável a permanência do ex-vereador Edmilson de Paula, o Doidão, em cargo comissionado na Prefeitura de Uberaba. Preso nessa quinta-feira a partir de mandado judicial, Doidão trabalhava como cabo eleitoral de candidatos a deputado. Vale ressaltar que há pouco tempo o PR tentou emplacar cargo na Prefeitura para a vereadora Denise Max, para possibilitar a volta de Doidão como vereador, já que é suplente. Não deu certo.

Trabalho de peso
Tem merecido elogios e mais elogios a análise de mercado do aeroporto de Uberaba, elaborada por Viviane Falcão, doutora em Engenharia de Transportes e professora da UFTM. O trabalho vem sendo considerado o mais rico em detalhes já feito sobre o assunto em todos os tempos. Viviane levantou dados que apontam uma demanda reprimida de 45 mil passageiros na cidade e analisou criteriosamente o movimento de usuários dos aeroportos e rodoviárias das cidades da região. Ao final, concluiu pela viabilidade do aeroporto local.

Pratas da casa
Seis empresas locais assinaram protocolo de intenções para investimentos em áreas do Minidistrito Valim de Melo e Distritos Industriais 1, 2 e 3. Ao todo, esses investimentos vão corresponder a R$22 milhões e gerar mais de 500 empregos diretos e outros cerca de 570 indiretos a serem gerados pela Construtora Terraço, Sanioto Construções, Luis Venâncio do Nascimento, Fardas Uniformes Profissionais, Construtora Havilah e Móveis Ideal.

Mistério
Jornalista Ricardo Noblat sugere em seu blog que a polícia investigue melhor a vida pregressa de Adélio Bispo, que atentou contra a vida do presidenciável Jair Bolsonaro semana passada. “Como um desempregado pode ter cartão de crédito internacional?” – questiona o jornalista. Pois é. Muito estranho...
 

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia