JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de janeiro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Lídia Prata ALTERNATIVA 08/01/2019

Foto/Leitor

Ruas da cidade ficaram vazias nesta segunda-feira. Vagas da Área Azul sobraram para todo lado, tanto quanto as críticas e os problemas, que não faltaram...

Às moscas
Ficaram às moscas as ruas do centro da cidade no primeiro dia de funcionamento oficial do estacionamento rotativo pago. De um lado, provavelmente houve um boicote ao sistema de Área Azul por parte dos proprietários de veículos. De outro, provavelmente houve dificuldade em operar o aplicativo pelo celular ou mesmo nos totens. Aliás, boa parte das máquinas instaladas nas ruas não funcionou, e quando o cidadão conseguia baixar o aplicativo, não conseguia informar a vaga escolhida para estacionar. E acabava desistindo, com medo de ter o carro rebocado ou multado. Embora já fosse previsível um certo tumulto nesse início, o volume de reclamações e de dificuldades foi maior do que esperado.

Movimento em queda
Vários comerciantes acionaram o Jornal da Manhã nessa segunda-feira para reclamar de queda no movimento nesse primeiro dia de estacionamento rotativo. Alguns lembraram que o objetivo do sistema era exatamente o oposto, mas não foi o que se viu. Até mesmo comerciantes do segmento de alimentação constataram o sumiço da clientela. Complicado.

Pela tangente
Para fugir do estacionamento pago, motoristas usaram as ruas adjacentes para deixar o veículo. Ficaram lotadas. Para piorar, muitos foram multados por estacionamento irregular, principalmente por não respeitarem a distância entre um veículo e outro, ou estacionando em porta de garagens.

Revisão necessária
Entre as críticas recebidas pelo JM, merece revisão pelo poder público municipal o estacionamento rotativo em frente ade clínicas de fisioterapia e de reabilitação e hotéis geriátricos. Além da dificuldade para embarque/desembarque de passageiros, deve-se levar em conta a necessidade de facilitar o atendimento aos pacientes pelos respectivos profissionais, sejam médicos ou fisioterapeutas.

Sem retorno
Apesar das críticas ao estacionamento rotativo, é certo que o governo municipal não vai voltar atrás. Já existe um contrato assinado com a empresa vencedora da licitação, sem previsão de rescisão. Talvez tivesse sido mais prudente implantar o sistema por etapas, deixando as pessoas se acostumarem aos poucos com o estacionamento rotativo pago.

Como fica?
Superintendência Regional de Ensino começou 2019 acéfala. Enquanto o governador Romeu Zema não nomeia sucessora para a superintendente Marilda Ribeiro, os servidores estão tocando a repartição sem comando algum. Nem diretor, nem superintendente. Alguns diretores exonerados continuam trabalhando, como voluntários, justamente para não haver descontinuidade do trabalho iniciado ou na expectativa de serem reconduzidos. Pois é. O ano letivo começa em fevereiro e a situação é essa.

De volta
A impressão que se tem é que o governo Romeu Zema ainda está perdido em meio à complexidade da gestão pública. Tanto é que tem reconduzido ex-ocupantes de cargos de confiança nomeados pelo ex-governador Fernando Pimentel, como no caso do superintendente regional de Ssaúde, Ivan José da Silva, filiado ao PT. E olha que o governo Pimentel foi alvo de críticas ferrenhas por parte do então candidato do Novo...

Cadê o helicóptero?
Helicóptero do Samu Regional veio para Uberaba no fimnal do ano, teve festa e comemoração, mas voltou para BH em seguida, com a promessa de ser substituído por outro, em definitivo. Com a transição de governo, porém, a aeronave não foi liberada até agora. Segundo consta, essa liberação depende de questões meramente burocráticas, porém de responsabilidade do consórcio de municípios, porque prestará atendimento regional. E não se sabe a quem recorrer no governo Zema para dar andamento a essa questão. Só falta o governador vender o helicóptero do nosso Samu Regional, pois já anunciou que pretende vender as aeronaves do Estado.

Made in Uberaba
Prefeitura de Sacramento acaba de contratar a Codiub para implantar sistema de licenciamento ambiental online naquele município, a exemplo do que foi desenvolvidomento para Uberaba. Contrato foi firmado por 12 meses, ao custo total de R$ 35.900.

Adeus!
Não poderia encerrar a coluna sem o registro triste da perda de um amigo muito especial: Jésus Tormim. Difícil de entender como uma pessoa alegre, cheia de vida, jovem e articulado como o Jésus perde a vida por uma bobagem, uma cirurgia sem maior complexidade, mas que acabou desencadeando uma infecção generalizada. Vai fazer uma tremenda falta para os inúmeros amigos que conquistou, assim como para a família e, principalmente, para Uberaba.

 

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia