JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 17 de junho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Gisele Barcelos CHECKLIST MUNDO 10/06/2019

 

Com a cotação do dólar e do euro acima dos R$ 4, muita gente tem evitado as palavras viagem internacional em 2019. Havia a esperança que o real teria uma recuperação a partir do início do governo Bolsonaro, mas até agora o câmbio continua descendo ladeira abaixo e confesso que me vi olhando saudosa para a época que o dólar valia menos de R$ 3... Sim, a gente já estava reclamando quando chegou nesse valor, mas não sabíamos que ainda tinha margem para piorar.

Toda a vez que o dólar e o euro engatam nessa tendência de alta, o primeiro conselho dado pelos especialistas é focar nos destinos nacionais para organizar as próximas viagens. Concordo que o Brasil é lindo e tem lugares incríveis para serem explorados, porém nem sempre é o que a gente está a fim para curtir as férias. Não se trata de um capricho. Para muita gente, viajar, mais do que um momento de descanso, é também uma chance para conhecer e mergulhar na cultura de outro país.  

Justamente por isso, preparei uma lista com sete destinos internacionais que cabem no nosso bolso tupiniquim. Você provavelmente já pensou em Argentina, Chile e Uruguai, então nem vou citar esses países hermanos aqui. Há mais opções acessíveis e interessantes para quem não quer se preocupar com a cotação do dólar e do euro.

Bolívia

A Bolívia é um país destino acessível e não tão batido na América do Sul. A moeda é o boliviano, que custa aproximadamente 60 centavos de real. Apesar da infra-estrutura precária, o país surpreende tanto por seu rico passado indígena como por suas paisagens.

A capital La Paz é ponto estratégico para outros passeios pelo país, como o Vale da Lua, Copacabana e as ruínas de Tihuanaco. Mesmo a estrela do país, o tour de três dias pelo Salar do Uyuni, não sai tão caro assim e pode ser contratado a partir de R$ 500 com acomodação, transporte e refeição. 

África do Sul

África do Sul tem de fazer parte do roteiro de qualquer turista que busca um destino que caiba dentro do orçamento e conta com safáris, praias e montanhas. O país, que não exige visto para os visitantes brasileiros, tornou-se um destino atrativo para o bolso brasileiro porque um rand, moeda local, equivale a cerca de 30 centavos de real, deixando serviços como alimentação e transporte mais baratos.

No país, você encontra grandes centros urbanos, como Joanesburgo e Pretória, mas também cidades emolduradas por montanhas e praias, como a Cidade do Cabo. Não deixe de fazer safáris no Parque Nacional Kruger ou em reservas particulares (com os safáris você gasta um pouco mais, mas vale cada centavo) e conhecer a Boulder’s Beach, comumente chamada de praia dos pinguins.

Em Joanesburgo, também é possível conhecer o Museu do Apartheid, a Casa de Nelson Mandela e o bairro de Soweto.

México

Embora Cancún seja um destino caro, a regra não é a mesma no restante do México. O país tem uma cultura marcante e oferece um roteiro variado: desde a capital Cidade do Mexico até vilarejos menores como Oaxaca, San Cristóbal de las Casas, Chiapas, San Miguel de Allende, Guanajuato. O peso mexicano equivale a 20 centavos de real e, fora dos resorts de Cancun, o custo de alimentação e hospedagem é extremamente barato. 

A capital do México é uma verdadeira aula de história a céu aberto. A cada esquina é possível ver e sentir um pouco do que se aprendeu sobre a cultura maia e asteca nos tempos escola. Além disso, o lugar abriga o museu de Frida Kahlo, instalado na casa que pertenceu à pintora. Da Cidade do México também saem passeios para conhecer as pirâmides do Sol e da Lua. 

Marrocos

Quando o assunto é destino "exótico", o Marrocos figura entre os primeiros da lista. Além de poder conhecer o Deserto do Saara, o turista ainda se depara com a bela cultura mulçumana nas mesquitas e também pelas ruas. 

A capital Marrakesh oferece diversas opções de restaurantes com o melhor da comida típica, como o cuscuz. Outra parada pode ser a cidade de Fez, que guarda construções históricas, mercados populares e inúmeras mesquitas. Somado a tudo isso, a moeda local, o dirrã marroquino, custa atualmente 40 centavos de real.

Vietnam

É verdade que os preços das passagens aéreas para o Vietnam não são tão baixos, mas os gastos no país são irrisórios. Para você ter uma noção, o país tem a cerveja mais barata do mundo, a Bia Hoi, e a garrafa de 500 ml custa algo em torno de R$ 1,20.

Além dos ótimos preços, não faltam razões para visitar o Vietnã, principalmente por toda sua história, antigas construções e ótimos museus. As belas praias vietnamitas também são muito buscadas. A apenas 3 horas de viagem de Hanói, capital do país, se encontra a famosa Halong Bay, um paraíso verde esmeralda em meio a paredões rochosos.

Guatemala

Embora seja bem menos popular que o Peru, o país conta com cenários de tirar o fôlego e uma cultura rica. Pequenos e charmosos vilarejos, três vulcões, ruínas maias e um enorme lago fazem parte da lista de atrações da Guatemala. A moeda local é o quetzal, que vale hoje pouco mais de 50 centavos de real. 

Um lugar imperdível no país é o Lago Atitlán e as vilas que ficam ao seu redor, principalmente Panajachel (conhecida como Pana), San Marcos e San Pedro.  Tikal, com suas ruínas maias super preservadas, é um dos principais pontos turísticos da Guatemala. Ali perto fica Flores, uma ilhazinha charmosa onde a maioria das pessoas se hospeda para poder conhecer Tikal, que fica no meio da selva. 

Namíbia

A Namíbia é um país multicultural que tem como capital Windhoek, cidade localizada no coração do território, ponto de partida ideal para conhecer todo o país.

Ao norte fica o Etosha National Park, um dos mais incríveis parques nacionais africanos, onde é possível fazer safáris com tranquilidade, sem tantos turistas como no Parque Kruger, da África do Sul. 

Seguindo à sudoeste, em direção ao litoral, se encontra o Sossusvlei, local onde é possível avistar paisagens incríveis do Deserto da Namíbia, como o jogo de sombras e formas das gigantescas dunas. As árvores petrificadas deixam o deserto ainda mais surreal. Definitivamente um destino para ser colocado na bucket list de qualquer viajante!

*Gisele Barcelos é uma jornalista viajante, que adora pesquisar e montar roteiros para aventuras pelo Brasil e exterior. Além de escrever sobre política no Jornal da Manhã, é autora do blog Checklist Mundo, onde compartilha suas andanças e experiências pelo mundo afora.  

 

 
 

 

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia