JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 25 de junho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Moura Miranda

DIA DO TUDO OU NADA

Hoje será o dia do tudo ou nada para o Uberaba Sport Club. Uma vitória aqui em Natal, onde me encontro desde sexta-feira, colocará o clube entre os melhores do futebol brasileiro, aqueles que terão vagas garantidas no Campeonato Brasileiro de 2010. Uma derrota ou empate o retornará à condição de sonhador com os bons momentos vividos neste esporte, que é a paixão do brasileiro. Foi uma pena a derrota de domingo passado em pleno Uberabão. O time não a merecia e a torcida também não, mas como aconteceu, o jogo desta tarde aqui na capital do Rio Grande do Norte tornou-se dramático. A vitória precisa acontecer a qualquer custo. O time colorado tem futebol para conquistá-la, mas muitos fatores conspiram contra ele. O Alecrim que entrou desanimado na competição e foi à Uberaba com muito medo, ganhou mais que os pontos no Uberabão, ganhou muito moral para a partida final. Hoje todos no Nordeste acreditam nas suas possibilidades e ele vem para o campo de jogo pronto para liquidar o adversário. Talvez na grande confiança de todos no time do Alecrim esteja o principal fator a favor do Uberaba. Já que perdido está, só resta uma coisa para o time comandado pelo Érick: ganhar aqui no Machadão e voltar para casa com a vaga.
 
A DERROTA DE DOMINGO
 
A derrota de domingo no Uberabão ainda não foi compreendida por muitos. Quem viu o jogo sabe que o Colorado venceu adversários bem melhores neste Campeonato Brasileiro, mas saiu de campo derrotado. Dois fatores ajudaram o time do Alecrim: uma arbitragem ruim e o medo que alguns jogadores sentiram da sua própria torcida. Quando a bola rolou, pode-se notar que alguns atletas colorados estavam com as pernas bambas, acredito que por ver o quanto a torcida acreditava e esperava deles. Foi uma pena. A vitória poderia e deveria ter sido conquistada. Não foi. Ficou para hoje, aqui no Machadão. Será possível? É a pergunta mais ouvida em Uberaba nos últimos dias. Acredito que sim. No futebol muitas vezes se consegue aquilo que ninguém espera, como aconteceu com o Estudiantes, da Argentina, recentemente no Mineirão. Só que eles tinham um Veron, disse-me um torcedor dentro do avião, quando a situação era discutida na nossa vinda para Natal. É verdade. Eles tinham um Veron. Tomara que o nosso Ipuã se torne um Veron esta tarde. É a esperança.
 
CONFIANÇA TOTAL
 
A cidade de Natal está vivendo um final de semana de uma grande euforia esportiva. A cidade que ainda comemora a escolha para ser uma das cidades sedes da Copa do Mundo de 2014, teve ontem a inauguração de um grande ginásio esportivo, com um jogo de basquete entre Flamengo (RJ) e Minas Tênis (MG). No final da noite aconteceu o maior clássico do estado entre ABC e América, pelo Campeonato Brasileiro da Série B e hoje tem o Alecrim, que pode ressurgir das cinzas, contra o Uberaba. Na sexta-feira a governadora Wilma de Faria anunciou que os clubes do Estado que disputam o Campeonato Brasileiro vão receber um patrocínio de 310 mil reais, ABC e América que estão na Série B, e 80 mil para o Alecrim, que está na Série D. Mais um incentivo para o adversário do Uberaba, que tem também a promessa de ajuda da prefeita Micarla de Souza. Aqui no Rio Grande do Norte, as mulheres estão mandando na política.
 
GRANDE ENGANO
 
Ouvi ontem de um comentarista na televisão uma opinião que está muito longe da realidade. Disse o colega, que o Alecrim está prestes a conquistar um grande feito: chegar à Série C do Brasileiro derrotando um clube poderoso do poderoso futebol mineiro. Garantiu aos seus ouvintes que o Uberaba Sport Club é de uma cidade muito rica, do rico Estado de Minas Gerais, e nesta parte ele acertou, mantido por grandes empresários e por zebuzeiros milionários. Foi aí que ele pisou na bola feio. Pura desinformação. O adversário do Alecrim esta tarde só conta com o apoio de pequenos empresários, de sua grande torcida e nenhum dos grandes zebuzeiros, que não querem nem saber se a bola é feita do couro ou do chifre da vaca. Em termos de apoio e de prestígio de bastidores, o Alecrim começa o jogo desta tarde vencendo de 10 a zero. Estarão esta tarde no Machadão, governadora, prefeita, senadores, deputados, vereadores, presidente da federação, presidentes e diretores de todos os clubes potiguares, todos dando força para o Alecrim, segundo time de todo mundo no Rio Grande do Norte. O adversário será o Uberaba Sport Club de 18 jogadores, uma comissão técnica, três ou quatro diretores, alguns representantes da imprensa e uns 30 heróicos torcedores, todos pequenos financeiramente, que não pouparam esforços e estarão vestidos com suas camisas coloradas, com suas faixas e suas bandeiras, torcendo heroicamente nas arquibancadas do Machadão. Será uma “guerra” desigual, quem sabe com um final surpreendente.
 
PODE VENCER
 
Acredito que o Uberaba tenha futebol para vencer o Alecrim, mas tenho medo da arbitragem. Às vezes penso que as cartas são marcadas nesta Série D. Não consigo me conformar com os erros cometidos contra o Colorado, como os de domingo, no Uberabão. Tomara que o sergipano que irá apitar hoje seja honesto. Os comandados do menino Érick Moura entrarão em campo dispostos a dar a vida, se necessário for, pela vitória. Se conseguirão, só saberemos após o apito final do árbitro. Se não conseguirem, valeram os bons momentos que eles nos proporcionaram neste Campeonato Brasileiro da Série D. Eliminar dos fortes representantes do futebol paulista, o grande rival do Triângulo Mineiro, o Brasília, da Capital Federal, e conseguir a heróica classificação no Mato Grosso, são conquistas que deverão entrar para a história deste grande clube. Principalmente, quando elas forem contadas e se lembrarem de dizer que aconteceram quando o clube uberabense atravessa a pior crise financeira de sua vida de quase 100 anos. No momento que acabara de perder todo patrimônio que tinha, exceto o bonito hino, a camisa cor de sangue e o grande amor de uma grande torcida. Opa, não quero lamentar antes da hora. Quero confiar que Glaysson, Ivolando, Rodrigão Mineiro, Rogério, Fabiano, Balduíno, Saulo, Gustavo, Ipuã, Danilo, André Nascimento, todos os demais atletas, Érick, Luís César, todos os demais membros da Comissão Técnica, os diretores Ernani Nogueira, Murrão, Barranco, e outros que aqui estiveram, nós da imprensa e os heróicos torcedores que aqui estão, vamos sair logo mais do Machadão, como os argentinos saíram recentemente do Mineirão, e os uruguaios saíram há quase 60 anos do Maracanã, comemorando vitórias que antes da bola rolar pareciam impossíveis.
 
EXPLODE CORAÇÃO COLORADO
 
Um domingo de muita alegria para todos nós.
 
Maurílio Moura Miranda
Jornalista, comentarista esportivo e ex-secretário Municipal de Turismo, Esporte e Lazer
 
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia