JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de junho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Moura Miranda

OLHO NO OLHO: Os melhores goleiros do futebol de uberaba

 OLHO NO OLHO

OFICIAL. Na última quinta-feira, com 25 votos a favor, cinco contra e duas abstenções, o Conselho Deliberativo do Uberaba Sport Club aprovou as contas do ano de 2013 e da diretoria passada. Foi a toque de caixa, mas está aprovado e pronto. Ninguém sabe ainda quanto o clube deve, mas somando todas as pendências parece não ser pouco. Caberá à diretoria atual, e provavelmente às futuras, pagar os erros do passado.

APRENDIZADO. No futebol é preciso que as pessoas entendam que não se deve assumir um clube sem saber a sua realidade. No meu entendimento, uma diretoria só deve tomar posse quando tiver todas as prestações de contas apresentadas e aprovadas. Vamos ver no que vai dar. Acredito que não será fácil para o Dr. Leonardo Sivieri administrar dívidas antigas, promover o time para a Segunda Divisão e em seguida montar um elenco para começar 2015, sem o risco de repetir o que aconteceu com o rival.

VANTAGEM. Terminar em primeiro lugar na primeira fase da Terceirona pode ser muito bom para o Uberaba. O time poderá fazer o último jogo da fase decisiva em casa diante da sua torcida.

DESCANSADO. Um detalhe que pode ser importante: como na próxima fase as viagens prometem ser muito longas, jogar na última rodada contra Nacional de Muriaé, Valério, Ipatinga ou Funorte no Uberabão será muito bom. Quem sair de casa para decidir fora estará ferrado.

MARATONA. A próxima fase será uma verdadeira maratona. Viagem curta apenas contra o Portal, no Parque do Sabiá. Os demais jogos serão todos na base de um dia de estrada para ir e outro para voltar. Haja pernas.

PARA TODOS. Ao que tudo indica, todos os clubes terão que viajar muito. Muriaé e Montes Claros ficam a quase 1.000 quilômetros de Uberaba e seus clubes devem se classificar. Os outros dois sairão de Ipatinga, Itabira ou Sete Lagoas, onde joga o time de Betim, todas as cidades muito distantes.

SALEM NÃO SAIU. Quem pensa que Salem Ibrahim El Messih saiu da presidência do Nacional está enganado. Ele continua mais presidente do que nunca e tendo como seu braço direito o tesoureiro Antônio Carlos Oliveira.

NINGUÉM SABE. A tal carta de demissão sumiu e ninguém sabe ninguém viu. Salem só não está mais firme porque caiu de uma escada na sua casa e quebrou o braço. Na presidência do Naça, no entanto, não tem escorregão.

O MELHOR. Acredito que o melhor mesmo para o Nacional é o Salem continuar no cargo. Não apenas ele, como o Toninho também. Eles estão arrumando a casa e se saírem não será fácil para quem entrar encontrar os fios da meada nas finanças alvinegras. Tem vários parcelamentos que, se sofrerem atraso, complica a saúde financeira do clube.

PODE FICAR. Há quem garanta que o presidente poderá ficar até o final do ano que vem, depois de tentar promover o time novamente para a Segunda Divisão. Quanto a isto, tenho dúvidas, mas se ele ficar montará novamente um time para subir. Salem não gosta de perder. Viu, brimo?

ITUIUTABANO. Os chamados “parceiros” do Clube Atlético Ituiutabano quando viram que o time não teria chances de se classificar caíram fora e deixaram os dirigentes tijucanos a ver navios. É sempre assim. Estas parcerias quase nunca dão certo. Sorte do Uberaba que vai tentando se reerguer com as próprias pernas.

AMADORÃO. O Campeonato Amador de Uberaba continua muito forte. Algumas equipes não estão poupando grana e buscam craques fora de Uberaba. O campeão em contratações é o Vila Nova, comandado dentro de campo pelo Calmon. O time alvinegro está formando uma verdadeira seleção de ex-profissionais.

IPIRANGA. O Ipiranga está dando uma de Cruzeiro no Amadorão: não larga a liderança há muito tempo. Infelizmente o Atlético, um dos mais tradicionais clubes de Uberaba, está à beira do rebaixamento. Depois de três anos brigando por títulos, o Galo, com a crista baixa, tenta se salvar de um vexame.

 

 OS MELHORES DO FUTEBOL DE UBERABA

GOLEIROS
Ao longo da história, grandes goleiros vestiram a camisa do Uberaba, Nacional e do Independente. Alguns vindos de fora, outros revelados aqui mesmo na cidade. Hoje vamos homenagear alguns arqueiros que foram responsáveis pela defesa de nossos gols.
 

   
 Vilmondes - Considerado, por quem o viu jogar, o número 1 dos números 1  Veríssimo - Nas décadas de 50 e 60 defendeu a camisa colorada

 

 

   
 Luizinho - Goleiro do Uberaba e pai da cantora Vanusa  Vilmondes e Armando Paulino - O número 1 e seu reserva imediato

 

 

   
 Netinho - Titular muitos anos no Independente e no Nacional  Valdir Bim - Defendeu o Nacional durante muitos anos

 

 

   
 Luizão jogou em BP e em JK
Helinho - Goleiro do Uberaba no primeiro Brasileiro
 Jardel - Cavaleiro Negro jogou no Nacional e depois no América

 

 

   
 Saraiva - Titular do grande time de 73  Luiz Fernando - Reserva de Saraiva

 

 

   
 Helinho - Goleiro no primeiro Campeonato Brasileiro  Ernani - Revelado no Nacional e depois foi para o Uberaba

 

 

   
 Gão - Revelado nas categorias de base do Uberaba  Welton - Defendeu o colorado no Brasileiro

 

 

   
 Diron - Um dos que mais jogaram com a camisa do Uberaba  Edson Luiz - Rival de Diron nos anos 70 e 80

 

 

   
 Pirangi - Bom goleiro do Nacional na década de 80  Donizete - Defendeu o Uberaba e depois o Nacional na década de 90

 

 

   
 
 Chocolate - Revelado na base, foi titular do USC nos anos 90  

 

BATE BOLA

CARLOS ALBERTO SARAIVA
Saraiva foi o primeiro de uma nova safra de goleiros uberabenses que teve entre outros Diron, Edson Luiz, Gão e Chocolate. Baixinho para os padrões dos arqueiros atuais, ele enganava os atacantes que não o conheciam e que achavam ser fácil vencê-lo. Elástico, firme e, acima de tudo, muito tranquilo tem história dentro da história do Uberaba. Nesta página, em homenagem aos goleiros, é com ele que batemos bola hoje.

Futebol de ontem?
Não é saudosismo não, mas antigamente o futebol era melhor. Cada time tinha no mínimo seis craques e cinco bons jogadores.

Futebol de hoje?
Meia dúzia de craques em um campeonato inteiro e muitos que são fruto do marketing e dos empresários.

O time do Uberaba de 1973 foi um dos melhores da história?
Foi. Posso dizer porque participei dele e sei quantos resultados positivos conseguimos contra grandes times. Aquele foi, sem dúvida, um dos melhores.

Poderia ter conquistado o título daquele ano no Mineirão?
Poderia. Não só aquele de 73, mas outros com aqueles mesmos jogadores. No Mineirão, o Sr. Juquita fez algumas substituições no vestiário antes do jogo com o América que desorientou o time.

Qual foi o seu jogo inesquecível?
Com certeza, o jogo contra o Cruzeiro. Ganhamos deles com todos os craques e calamos os torcedores no Mineirão com um show de bola.

Qual foi o maior craque com o qual você jogou?
Sem dúvida alguma, o Toinzinho. Ele foi para nós o que o Zico foi um dia para o Flamengo. Com ele, o time era um, sem ele, outro.

E fora de Uberaba?
Vou ficar com outro com quem joguei no Uberaba: Dilson. Não vi o Garrincha jogar, mas o Dilson foi o melhor ponta que conheci.

Qual foi o seu melhor treinador?
Tive vários. O Juquita para motivar. O Filpo Nunez no esquema e Domingo Barone, na união do grupo.

Quais os melhores goleiros que você viu jogar?
Bem antigamente, o Leão e o Cláudio, do Santos e recentemente, o Rogério Ceni e o Dida.

Qual era a sua altura quando jogava?
Um metro e setenta e três. Compensava com colocação e elasticidade. Hoje não me deixariam nem treinar.

Os treinadores de goleiros de hoje ajudam?
Muito. No meu tempo eu era treinado pelo Grimaldi e pelo Renê Pinto, depois dos treinos normais.

Qual foi o seu melhor dirigente?
Uma turma nos dava tranquilidade, como o Dr. Renê, Dr. Ézio, Dr. Renato, Aziz Mansur, Abrãozinho. O melhor de todos, porém, foi o Sr. Olivério Teixeira ao lado do Nenê Mamá.

Você tem esperança de que o USC voltará a ser grande?
Torço muito pelo Dr. Leonardo e seus companheiros, mas acho muito difícil. O Uberaba perdeu muitos anos, recuperar isto não será fácil.

Você foi convidado a ser diretor do Uberaba?
Fui, mas não aceitei. Hoje prefiro apenas ajudar de alguma forma.

Você teve alguma decepção no futebol?
Como jogador não, mas como torcedor foi o leilão do Estádio Boulanger Pucci. Fiquei muito chateado.

OS MELHORES DO FUTEBOL DE UBERABA
GOLEIROS

Ao longo da história, grandes goleiros vestiram a camisa do Uberaba, Nacional e do Independente. Alguns vindos de fora, outros revelados aqui mesmo na cidade. Hoje vamos homenagear alguns arqueiros que foram responsáveis pela defesa de nossos gols.

 

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia