JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de abril de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Acidentes infantis podem estar ligados à negligência, diz MS

Pesquisas da ONG Criança Segura indicam que pelo menos 90% das lesões ocorridas em ambiente doméstico poderiam ser evitadas com atitudes de prevenção

Última atualização: 24/04/2013 - 09:50:45.

Thassiana Macedo

]
A ingestão acidental de produtos de limpeza, medicamentos ou plantas
venenosas levou quase 4 mil crianças à internação

Estimativas do Ministério da Saúde apontam que em torno de 4,7 mil crianças morrem e outras 125 mil, com idade entre 0 e 14 anos, são hospitalizadas todos os anos no Brasil em decorrência de acidentes graves. De acordo com a ONG Criança Segura, cerca de 70% das ocorrências deste total acontecem dentro da própria residência da criança.
Segundo a psicóloga e especialista em prevenção de acidentes infantis, Sandra Regina Gimeniz Pascoal, queimaduras, quedas, intoxicações, sufocações, afogamentos e acidentes com armas de fogo são riscos importantes, pois estão presentes dentro de casa, representando ameaça principalmente para as crianças. “Esses dados são relevantes e, infelizmente, recorrentes. Em 2001, quando o Ministério da Saúde lançou portaria para a prevenção de acidentes e violências, já se acenava para o fato de que essas ocorrências já eram muito típicas no país e que era preciso o envolvimento de toda a sociedade para a diminuição desses dados. Verificamos, porém, que esses dados permanecem, sendo o ambiente doméstico o que mais oferece risco às crianças, em especial a cozinha”, afirma.
Sandra Pascoal alerta que através de estudos a previsão é de continuidade dessa situação nos próximos anos, sendo fundamental a preocupação de toda a sociedade. “Quando os pais chegam em casa, no final da tarde, precisam dividir a atenção entre os cuidados com as crianças e as demais tarefas domésticas. Então, muitas vezes, eles tomam aquela tarefa doméstica como prioritária e deixa a supervisão da criança”, frisa.
Ou seja, a maioria dos acidentes ocorre dentro de casa, mesmo na presença dos pais ou de adultos, sendo mais frequente no final de tarde ou nos fins de semana, ocorrendo principalmente entre os meninos. Por isso, a psicóloga destaca algumas dicas importantes para evitar tais acidentes. “No quarto das crianças, as grades do berço devem ser arredondadas, lisas e uniformes, evitando-se móveis cujas peças se soltam. O trocador deve ter a altura necessária e, se possível, conter uma fita, do tipo cinto de segurança na lateral, que prende o bebê para trocar de fraldas. No quarto dos adultos, há geralmente muitos produtos de beleza disponíveis em locais onde não deveriam estar. Chaves, peças e pequenos objetos devem estar guardados, assim como lâminas de barbear e outros materiais cortantes não podem estar visíveis ou acessíveis. Na cozinha, em especial, é preciso cuidado com panelas com o cabo para fora do fogão”, completa a especialista, ressaltando que acidentes são previsíveis e preveníveis conforme a fase de desenvolvimento da criança.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia