JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 21 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Especialista ensina como consumir alimentos orgânicos com economia

Nutrólogo Wilson Rondó Júnior diz que é possível obter a maioria dos benefícios dos produtos orgânicos ao trocar apenas parte da comida

- Por Thassiana Macedo Última atualização: 14/09/2014 - 12:33:01.

Com certeza, você já deve ter ouvido falar que os alimentos orgânicos fazem muito bem à saúde e que uma alimentação mais saudável pode prevenir problemas crônicos, como diabetes, hipertensão, infartos e AVCs, além de ser benéfica para evitar o desenvolvimento de câncer. Poucas pessoas, porém, sabem dos reais benefícios dos alimentos orgânicos e como encontrá-los.

De acordo com o nutrólogo paulista Wilson Rondó Júnior, é possível obter a maioria dos benefícios dos produtos orgânicos ao trocar apenas parte da comida, contanto que saiba quais comprar e quais evitar. “A não ser que você queira hormônios, antibióticos, entre outros agentes, compre só carne orgânica, proveniente de animais alimentados com capim. Além de ser mais limpos e seguros, os animais com uma dieta natural têm mais vitaminas essenciais e níveis mais altos de ácidos graxos ômega 3. As galinhas ciscam qualquer coisa, mas as galinhas orgânicas não confinadas, que podem comer grama, minhocas e insetos, produzem ovos de alta qualidade, densos em nutrientes e mais ricos em ácidos graxos ômega 3, betacaroteno e vitaminas A, D e E do que os convencionais”, explica.

O especialista orienta que maçãs podem ser compradas o ano todo, mas é porque a fruta dura quando é refrigerada e banhada em pesticidas que evitam mofo, fungos e pragas. “Em Testes do Grupo de Trabalho Ambiental, 98% das maçãs continham pesticidas e 92% continuaram a apresentar o veneno depois de lavadas e descascadas. Salsão, pimentões doces, pêssegos, morangos, nectarinas importadas, uvas, espinafre, alface, pepinos, mirtilos e batatas engrossam essa lista. O grupo tem uma lista das ‘15 limpas, que inclui frutas e verduras orgânicas com os menores níveis de pesticidas e químicos, tais como cebolas, milho doce, abacaxi, abacate, repolho, ervilha doce, aspargo, mangas, berinjela, kiwi, cantaloupe doméstico, batatas doces, toranja, melancia e cogumelos”, frisa.

À medida que a procura pelos alimentos orgânicos cresceu, Rondó Júnior destaca que o número desses produtos expostos nas prateleiras dos supermercados também aumentou. “Orgânico ou não, consumir produtos processados continua sendo inadequado. Então, evite completamente esse consumo ou simplesmente compre as versões convencionais mais baratas”, completa o nutrólogo.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia