JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Estudo aponta que grávidas ficam mais sensíveis a ameaças que se aproximam da barriga

Durante o terceiro trimestre, cérebro cria uma 'bolha de proteção' e reconhece ameaças a uma distância maior

14/06/2019 - 00:00:00.

A revista Scientific Reports divulgou uma pesquisa divulgada quinta-feira (13) pesquisa que mostra que grávidas no terceiro trimestre da gestação desenvolvem uma espécie de bolha de proteção ao redor delas. Segundo o estudo, o cérebro se adapta às modificações do corpo e aumenta a percepção de espaço e de sons. Dessa forma, a mulher passa a ter uma reação mais rápida a elementos potencialmente perigosos que se aproximem da barriga dela.

Todos nós temos o chamado "espaço peripessoal": é a zona ao redor do corpo cujo perímetro pode medir, por exemplo, o tamanho do nosso braço. Qualquer objeto que chegue perto dessa região desperta respostas de defesa no organismo.

O que esse estudo reforça é que esse tal "espaço peripessoal" é dinâmico e pode ficar maior dependendo do contexto. No caso das grávidas, ele é ampliado para provavelmente proteger o feto. O cérebro percebe que o corpo adquiriu rapidamente outra forma, com o crescimento da barriga, e amplia a bolha de proteção.

Para chegarem a essa conclusão, os pesquisadores aplicaram testes de reação a estímulos táteis e auditivos, a diferentes distâncias das mulheres. Eram três grupos: grávidas no segundo trimestre da gestação, no terceiro e nos primeiros meses do pós-parto. Os resultados foram comparados a não-gestantes. Apenas as que estavam no terceiro trimestre demonstraram alteração nas percepções sensoriais - provavelmente, pelo tamanho da barriga.

*Com informações do G1
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia